Energisa prepara aumento de capital e emissão de debêntures

Operações devem render R$ 1,250 bilhão para a companhia

O conselho de administração da Energisa aprovou nesta quarta-feira, 30 de setembro, operações de aumento de capital e emissão de debêntures. A empresa deve captar com as duas ações R$ 1,250 bilhão, sendo R$ 1 bilhão com as debêntures e R$ 250 milhões com as novas ações. As medidas estavam previstas no acordo de investimento de R$ 2,5 bilhões firmado com a BNDES Participações no último dia 21.

O aumento de capital será feito mediante a emissão de 90.909.901 novas ações, das quais 43.705.122 serão ações ordinárias e 47.203.969 serão preferenciais. Com a operação, o capital social da companhia passará de R$ 1,010 bilhão para R$ 1,260 bilhão, dividido em 1.336.599.980 ações. O preço de emissão será de R$ 2,75 por ação.

Os atuais acionistas terão direito de preferência na operação na proporção de 7,428468%, sendo que os titulares de ações ordinárias e preferenciais subscreverão na mesma espécie possuída e os titulares de Units subscreverão em Units. O direito poderá ser exercido até o dia 30 de outubro.

Ao mesmo tempo, a empresa fará sétima emissão privada de 1 milhão de debêntures, com valor nominal fixo de R$ 1 mil, totalizando R$ 1 bilhão de captação. A emissão será realizada em seis séries, sendo 166.667 debêntures de cada uma. A subscrição será feita por lotes formados por uma debênture de cada série. Os títulos terão vencimentos entre cinco e sete anos, com remuneração de 7,5% ao ano nas três primeiras e de 9%a.a. nas demais séries.

Os recursos da emissão serão destinados ao reforço da estrutura de capital da companhia para investimentos nas distribuidoras. Os acionistas terão direito de preferência na operação até 30 de novembro.