Enel Brasil apresenta projeto de casa autossuficiente em energia

Empreendimento foi realizado através de crowdsourcing e contará com controle de consumo em tempo real

A Enel apresentou nesta quinta-feira, 10 de setembro, durante a Expo Milão 2015, o projeto arquitetônico da casa do futuro que a empresa vai começar a construir no Brasil antes do fim desse ano, como parte do projeto "Nós Vivemos o Amanhã". Esta é a primeira vez que uma iniciativa de crowdsourcing foi usada para ajudar a construir uma casa do futuro, com ideias coletadas através do site do projeto, que pode ser acessado clicando aqui.
 
A construção da casa deve terminar antes dos Jogos Olímpicos do Rio em 2016. Uma vez concluída, será a primeira casa do futuro no mundo que funcionará como um “living lab”, onde as pessoas vão cooperar com o projeto, vivendo no local e testando diariamente as soluções inovadoras. As tecnologias e seu impactos na vida cotidiana e nos hábitos de consumo dos moradores serão constantemente monitorados, com o objetivo de aprimorar as soluções oferecidas pelo projeto.
 
“Precisamos entender como será a relação dos nossos clientes com o consumo de energia no futuro. Por isso, estamos adotando um enfoque em inovação aberta para um entendimento sobre o consumo inteligente”, ressalta o responsável pela Enel Brasil, Marcelo Llévenes. “Vamos usar as respostas de quem for morar na casa para aprender mais sobre como as tecnologias inovadoras disponíveis atualmente podem ser usadas para servir às pessoas. Nós também teremos a oportunidade de testar soluções que ainda não estão no mercado”.

O projeto arquitetônico da casa foi desenvolvido no Brasil pelo escritório de arquitetura Studio Arthur Casas, que produziu projetos aclamados em todo o mundo, incluindo o Pavilhão do Brasil na Expo Milão 2015. "Este projeto nos deu a incrível oportunidade de projetar uma casa que gera mais energia do que consome”, disse o arquiteto Arthur Casas.
 
Dentro da casa também terão aparelhos de controle remoto inteligentes, que poderão decidir os melhores momentos do dia para serem usados, tornando o uso de energia mais eficiente. A casa será autossuficiente em energia e funcionará como uma microrrede, produzindo cerca de 105% de sua demanda graças à energia solar gerada por painéis instalados no telhado. A energia excedente poderá ser armazenada em baterias de alta capacidade ou transferida para a rede de distribuição local, aumentando a produção e o consumo de energia limpa.
 
O projeto foi desenhado para que não seja necessário o uso de energia elétrica durante o dia. O NO.V.A. também está aberto a outros possíveis parceiros, que poderão testar novos produtos e serviços. A Prátil, empresa da Enel Brasil que atua em geração distribuída, testará na casa soluções inovadoras para geração distribuída e sistemas de armazenamento, assim como soluções em eficiência energética.
 
Esta segunda fase do projeto, após o lançamento da plataforma do NO.VA em novembro de 2014, será coordenada pela Ampla, subsidiária do grupo Enel no Brasil, e por duas instituições de ensino parceiras, a PUC-Rio e a Fundação Getúlio Vargas. A casa do futuro da Enel Brasil também será a primeira construção na América do Sul a concorrer à certificação Living Building Challenge, selo internacional com padrão de desempenho rigoroso que certifica edificações de todas as escalas que operam de forma limpa e responsável com o meio ambiente.