Custos das térmicas do Amazonas em junho ficam em R$ 49,6 milhões

Valor se refere a soma dos custos fixo e variável ajustados das usinas

A Agência Nacional de Energia Elétrica aprovou provisoriamente nesta terça-feira, 14 de julho, os valores de custo fixo ajustado e custo Variável Ajustado das termelétricas localizadas no estado do Amazonas referentes a junho de 2015. A soma dos custos é de R$ 49.686.195,48. A Câmara de Comercialização de Energia Elétrica vai fazer o ressarcimento para a Amazonas Energia dos custos por meio de Encargos de Serviços do Sistema adotando critério de rateio entre os agentes pagadores similar ao executado no ESS por restrição de operação no âmbito do Sistema Interligado Nacional.

Os custos totais da UTE Flores ficarão em R$ 20.105.800,46. Na UTE São José Mauá eles ficam em R$ 11.163.953,95. No bloco V da UTE Mauá a soma dos custos fixo e variável ficou em R$ 5.413.948,55. Na UTE Aparecida, que é movida a óleo, os custos serão de R$ 4.485.053,56. Na UTE Iranduba, a soma dos custos vai ser de R$ 4.355.702,45. O bloco I da UTE Mauá terá custos de R$ 3.214.029,68. Os menores custos ficaram com o bloco IV da UTE Mauá, de R$ 543.265,87; e com a UTE Electron, que vai ter custos de R$ 404.440,96.