Furto de energia resulta em 26 prisões na área de concessão da Ampla em 2015

Número diz respeito aos primeiros três meses do ano

A Ampla fechou o primeiro trimestre de 2015 com 165 registros de ocorrência e 26 prisões por furto de energia na área de concessão da companhia. Os números são resultado do trabalho efetivo da distribuidora contra as ligações irregulares de energia, os famosos “gatos de luz”, em apoio à Policia Civil do Rio de Janeiro. Entre janeiro e março deste ano, a empresa apoiou 35 operações contra o furto de energia. Ao longo de 2014, 139 pessoas foram presas por furto de energia nas cidades atendidas pela Ampla.

As cidades onde a distribuidora registrou o maior número de prisões nos três primeiros meses de 2015 foram Niterói e São Gonçalo, seguidas por Maricá, Cabo Frio, Duque de Caxias e Saquarema. É importante ressaltar que o “gato” é crime, com pena de um a oito anos de reclusão, e afeta diretamente a qualidade do serviço prestado pela companhia. As ligações irregulares podem causar curtos-circuitos e sobrecarga na rede elétrica, ocasionando interrupções no fornecimento de energia.

Além das blitz de combate ao furto, a empresa executa obras de blindagem da rede de distribuição, elevando a rede de baixa tensão para o nível da rede de alta tensão, dificultando assim um dos principais tipos de furto de energia, a ligação direta. Os clientes que quiserem denunciar o furto de energia podem fazê-lo pelo site da Ampla ou pelo Twitter da empresa (@amplaenergia). Não é necessário se identificar.