MME enquadra unidade geradora da UTE Costa Rica I junto ao Reidi

Ministério também aprovou projetos relativos a PCH’S e CGH’S, além de um lote de linha de transmissão

O Ministério de Minas e Energia autorizou o enquadramento ao Regime Especial de Incentivos ao Desenvolvimento da Infraestrutura do projeto relativo a UTE Costa Rica I, de titularidade da YTI – Yser Timberland Investment Energy. O projeto compreende uma unidade geradora de 163.999 kW de capacidade instalada e o período de execução é de 1º de novembro deste ano até o último dia de 2018, demandando investimentos na ordem de R$ 1 bilhão, sem a incidência de impostos. A usina está situada no município de Costa Rica (MS).

A pequena central hidrelétrica denominada PCH Das Almas, de posse da Rio Turvo Energética também recebeu a aprovação junto ao MME. A usina é composta por duas unidades geradoras de 3.500 kW, somando 7.000 kW de capacidade instalada, e as obras irão demandar recursos de aproximadamente R$ 42,6 milhões, sem a incidência de impostos, com prazo de cumprimento de setembro deste ano até março de 2021. A localidade do empreendimento é nos municípios de Cerro Azul e Doutor Ulysses (PR).

Nos mesmos municípios paranaenses há outro projeto da Rio Turvo também liberado pelo Ministério, que corresponde a PCH Ribeirão Bonito e compreende duas unidades geradoras de 3.150 kW, totalizando 6.300 kW de capacidade instalada. O período de execução do projeto é de janeiro de 2018 até outubro de 2021 e irá requerer investimentos de R$ 40,7 milhões sem impostos.

Outro projeto aprovado é de titularidade da Blueshift Geração e Comercialização de Energia e corresponde a central geradora termelétrica denominada UTE Coopersulca, a qual compreende uma unidade geradora de 1.250 kW, totalizando 1.250 kW de capacidade instalada. O prazo de cumprimento do projeto é de setembro de 2017 até dezembro do ano que vem e irá demandar um aporte de recursos no valor de R$ 6,1 milhões.

Por fim, a obra de posse da Interligação Elétrica Itaquerê, relativa ao Lote 6 do Leilão nº 05/2016 da Aneel também foi enquadrada pelo MME. O projeto acontecerá em Santa Catarina e o período de cumprimento é de agosto deste ano até o mesmo período de 2021, demandando investimentos na ordem de R$ 256,2 milhões, sem a incidência de impostos.