Spic, Enel e Engie assinam contratos de hidrelétricas em cerimônia na Aneel

Certame foi realizado em 27 de setembro na B3, em São Paulo, e alcançou 9,73% de ágio médio, com R$ 12,13 bilhões de bonificação pelas outorgas

Representantes das empresas Spic Pacific Energy, Enel e Engie assinaram nesta sexta-feira, 10 de novembro, os novos contratos de concessão das hidrelétricas São Simão (1.710 MW), Jaguara (424 MW), Miranda (408 MW) e Volta Grande (380 MW), em cerimônia promovida na sede da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), em Brasília. O evento contou com a presença dos vencedores dos lotes, de representantes das Embaixadas da Itália e da China, do diretor-geral da Agência, Romeu Rufino, e do presidente da Secretaria Executiva de Leilões, Romário de Oliveira Batista.

O certame foi realizado em 27 de setembro na B3, em São Paulo, e alcançou 9,73% de ágio médio, com R$ 12,13 bilhões de bonificação pelas outorgas. Os lotes foram arrematados respectivamente pela SPIC Pacific Energy (São Simão), pelo Consórcio Engie Brasil Minas Geração (Jaguara e Miranda) e pela Enel Brasil (Volta Grande).

Durante a cerimônia, o diretor-geral, Romeu Rufino, destacou a confiança nas três empresas vencedoras, ao mesmo tempo em que reiterou a disposição da agência em ajudar nesse momento inicial de cumprimento dos contratos. Também agradeceu a confiança depositada no país. “Nós agradecemos a disposição dos investidores em investir em um país tão grande como um Brasil e com um sistema elétrico tão complexo”, afirmou.

Assinatura dos contratos

“Volta Grande se encaixa perfeitamente na estratégia de crescimento sustentável da Enel no país e oferece oportunidades substanciais em termos de criação de valor, com 30% de sua produção dedicada a nossa estratégia de crescimento no mercado livre. Volta Grande vai se beneficiar também de possíveis sinergias com os demais ativos da Enel no Brasil. A capacidade hídrica do grupo no país está crescendo 42%, dos atuais 890 MW para 1.270 MW”, disse presidente da Enel no Brasil, Carlo Zorzoli.

Os contratos têm prazo de 30 anos e foi declarado vencedor o proponente que ofertou o maior valor de bonificação. O valor do Custo de Gestão dos Ativos de Geração (GAG) total é fixo.