PLD aumenta em todos os submercados, aponta CCEE

Vazões do SIN para o final de janeiro caíram de 95% para 92% da média histórica e carga deve ficar 1.300 MW médios mis elevada ante o projetado na semana passada

O Preço de Liquidação das Diferenças para a semana operativa de 20 a 26 de janeiro subiu em todos os submercados. No Sudeste/Centro-Oeste, o aumento foi de 18% com o preço médio fixado em R$ 192,89/MWh. No Sul, o preço foi de R$ 165,82/MWh para R$ 191,89/MWh, elevação de 16%. O PLD no Nordeste elevou-se em 17% ao passar de R$ 162,06/MWh para R$ 190,37/MWh. Já o preço no Norte teve aumento de 2%, fixado em R$ 145,60/MWh.

Segundo a Câmara de Comercialização de Energia Elétrica, os preços do submercado Norte apresentaram valores menores em relação aos demais por ser exportador e por ter alcançado os limites de envio de energia para o Sudeste, assim como para o Nordeste. O pequeno descolamento do preço entre os outros, explicou a CCEE, deve-se às perdas elétricas na interligação entre os submercados.

A expectativa de afluências para o Sistema Interligado Nacional para o final de janeiro foi revista de 95% para 92% da média de longo termo com afluências esperadas em 99% da média no Sudeste/Centro Oeste, 165% no Sul, 36% no Nordeste e em 71% no Norte.
Já carga prevista para a próxima semana deve ficar 1.300 MW médios maior na comparação com a carga esperada na semana anterior com elevação de aproximadamente 1.450 MW médios no Sudeste/Centro-Oeste e redução em torno de 150 MW médios no Norte. Não há alterações na carga prevista no restante do país.
Os níveis dos reservatórios do SIN estão cerca de 1.350 MW médios mais baixos que os estimados na última semana, com reduções de aproximadamente 1.850 MW médios no Sudeste e 250 MW médios no Nordeste. Já nos outros submercados a expectativa é de aumento, no Sul espera-se 350 MW médios e no Norte 400 MW médios.  O fator de ajuste do MRE previsto para janeiro está em 107,7%, ou seja, assim como no ano de 2017 é projetada a ocorrência de energia secundária. Os Encargos de Serviços do Sistema esperados para o período estão na ordem de R$ 136 milhões, sendo R$ 56 milhões por segurança energética.