Fitch atribui notas à Alupar

Ratings de longo prazo em moeda estrangeira e local têm perspectiva estável

A agência de classificação de risco Fitch Ratings atribuiu pela primeira vez os IDRs (ratings de probabilidade de inadimplência do emissor, na sigla em inglês) de longo prazo em moedas estrangeira e local  em BB e BBB-, respectivamente, à Alupar Investimento. A perspectiva é estável. A Fitch já classifica a Alupar, assim como suas emissões locais, com o rating nacional de longo prazo AAA(bra).
Os ratings da Alupar, explicou a agência, refletem a opinião da Fitch de que a companhia conseguirá fortalecer sua já diversificada base de ativos, mantendo perfil financeiro robusto, compatível com outras companhias do setor na mesma categoria de rating. “No entender da agência, a Alupar, após ter se beneficiado do aumento de capital realizado nos últimos dois anos (R$ 1,2 bilhão), poderá efetuar os aportes necessários para o desenvolvimento dos projetos em curso e para refinanciamento da dívida na holding, sem comprometer sua posição de liquidez”.
O IDR em moeda Estrangeira da Alupar é limitado pelo teto País do Brasil BB, uma vez que a empresa gera a maioria de suas receitas em moeda local, sem manter caixa e linhas de crédito compromissadas no exterior. A Fitch afirmou que também considera adequada a diferença de três graus entre o IDR em Moeda Local da Alupar e o rating soberano, devido à sua natureza regulada. Já a perspectiva dos IDRs segue a do rating soberano do Brasil, BB-.
Em sua avaliação, a Fitch ressalta que o perfil de crédito da Alupar reflete o baixo risco de negócios de suas operações no segmento de transmissão de energia elétrica, caracterizado por elevadas margens de Ebitda e grande previsibilidade de geração operacional de caixa. Já os ativos de geração, apesar de apresentarem maior volatilidade que os de transmissão, contribuem para diluir ainda mais possíveis riscos operacionais. Além disso, a companhia tem aproximadamente 83% de sua energia assegurada contratada até 2025 e aderiu, por meio de seus contratos de venda de energia no mercado regulado, à proposta do governo de mitigação do risco hidrológico, atualmente acima da média.
E além disso, a Fitch acredita que o incremento do risco de construção, decorrente da participação da Alupar em dez novas concessões de linhas de transmissão e em três projetos de geração, é parcialmente mitigado por sua experiência na implementação de projetos e por sua comprovada flexibilidade financeira. Em sua análise, os novos investimentos atenuarão parcialmente a queda na receita e na geração operacional de caixa prevista para os próximos anos, a partir da redução da receita anual permitida de algumas linhas de transmissão mais antigas.