Diretor da Aneel defende equação financeira para conclusão de Angra 3

Governo discute eventual reajuste de tarifa que permita a retomada das obras da usina

O diretor-geral da Agência Nacional de Energia Elétrica, André Pepitone, afirmou em conversa com jornalistas que é preciso encontrar uma equação financeira que torne viável a conclusão de Angra 3. “Não estou discutindo mais se Angra é viável ou não. Angra é viável. Não tem como voltar atrás. O que a gente precisa agora é estruturar um modelo com a participação de todos os atores envolvidos pra ter uma modelagem equilibrada do ponto de vista financeiro e econômico para a usina”, disse.

Para o diretor da Aneel, a discussão sobre um eventual repasse às tarifas dos prejuízos da Eletronuclear com os desvios de recursos na construção da usina deve passar por um ambiente de discussão pública. “Assim como tomamos as decisões na Aneel, é feita uma proposta, abre-se uma audiência publica, se promove um debate. E a melhor solução técnica há de aparecer, de ser maturada”, ponderou Pepitone. Ele disse que é necessário ouvir mais os segmentos envolvidos para que uma decisão sobre a correção da tarifa da usina seja tomada com segurança.

A situação de Angra 3 foi tratada nesta terça-feira, 9 de outubro, em reunião do Conselho Nacional de Política Energética. O CNPE examinou o relatório do grupo de trabalho que discutiu uma solução para retomada do empreendimento.

Angra 3 está paralisada desde 2015, quando os consórcios construtores, formados por empresas envolvidas nas denuncias de corrupção da Operação Lava Jato, abandonaram as obras. Segundo dados da Eletrobras, 63% do empreendimento estão concluídos.