Engie anuncia restruturação global e foco em 20 países

Empresa projeta investimentos de até 12 bi de euros em três anos e continua com a meta de deixar a geração térmica a carvão ao passo que injeta 9 GW em renováveis

A francesa Engie anunciou nesta quinta-feira, 28 de fevereiro, que focará sua presença em apenas 20 países e 30 áreas urbanas em uma restruturação da companhia. Essa mudança ocorre no sentido de aprimorar o foco geográfico e alocação de capital da companhia. São mercados em desenvolvimento que foram identificados como as principais prioridades de crescimento lideradas por investimentos da empresa. O objetivo, ressaltou, é o de construir escala, posições top-3 e maior densidade de operações. Com essa decisão a companhia confirma os rumores de que sairá de aproximadamente 20 países nos próximos três anos, em um movimento para melhorar o foco e o retorno econômico.
Em comunicado após o evento realizado para acionistas em Londres (Reino Unido), a Engie afirmou que programas de clientes complexos, inovadores, integrados, de longo prazo e baseados em resultados são preferidos ao negócio de taxa por serviço simples, comoditizado e padronizado. Apontou que o investimento será diferenciado em horizontes de tempo distintos, com obstáculos consistentes de 200 pontos base sobre o WACC da ENGIE e de 400 pontos base sobre o custo de capital próprio.
A previsão de investimentos nos próximos três anos é de algo entre € 11 e 12 bilhões. O que dá uma média de € 4 bilhões por ano em investimentos de capital em crescimento e menores aquisições no período ate 2021, enquanto € 6 bilhões em alienação de ativos são esperados para o período. A Engie prevê que este programa de investimentos seja liderado por € 4 a 5 bilhões para a Client Solutions, de € 2,3 a 2,8 bilhões serão alocados para o crescimento de Renováveis ​​para abastecer 9 GW de capacidade incremental, enquanto outros € 3 a 3,3 bilhões de capital adicional serão investidos na  linha de negócios de Redes.
Um novo programa de desempenho para o período foi lançado. Consiste em iniciativas de redução de custos abrangendo aquisições, digitalização e centros de serviços compartilhados, bem como oportunidades de melhoria de receitas e margens decorrentes da otimização dos ativos e ofertas de clientes. A projeção é de que o impacto agregado do lucro operacional do programa é atualmente direcionado a € 800 milhões, com uma pequena carga de entrega para 2020 e 2021.
Para alinhar mais a organização, a empresa definiu quatro Linhas Globais de Negócios a serem criadas: Soluções para Clientes, Redes, Renováveis e Térmicas para apoiar as equipes locais e acelerar os programas de desempenho interfuncional. Em renováveis a empresa visa 50% dos novos projetos dedicados a clientes específicos. Serão adicionados 9 GW de capacidade até 2021. Em Redes, o grupo prevê continuar gerando retornos atrativos e substancial fluxo de caixa. Na França, a próxima revisão de retorno regulatório será em 2020.
Em outros negócios de geração, a Engie projeta a continuidade de otimização de suas operações, reduzindo sua pegada de gás carbônico ao estreitar sua capacidade térmica, reduzindo a geração de carvão e aprimorando seletivamente a capacidade de gás.