Celesc perto de concluir modernização de usina em Blumenau

Comportas de madeira instaladas na década de 70 na hidrelétrica Salto Weissbach foram substituídas por peças de aço, restando ainda retirar o conduto provisório instalado para a captação de água pelo SAMAE durante o período de obras

A Celesc está próxima de finalizar a última etapa da obra de substituição das comportas da Usina Salto Weissbach, em Blumenau, que acontecerá na próxima terça-feira, 23 de abril, quando será feita a retirada de uma tubulação temporária instalada no canal que abastece a hidrelétrica. O conduto provisório foi construído para evitar que as regiões atendidas pela Estação de Tratamento de Água do Samae (ETA II) sofressem desabastecimento durante os serviços.

A retirada da tubulação será realizada por equipes da concessionária e empresas terceirizadas, e contará com a ajuda de um guindaste. Onze peças que compõem o conduto serão retiradas, numeradas e armazenadas para uso em anos posteriores, caso necessário. Na avaliação do engenheiro Caio Belico, gerente da Divisão de Manutenção das Usinas da Celesc Geração, a obra tira a necessidade frequente de rebaixar o nível do canal para manutenções na usina, o que impactava também na captação de água do Samae, que utiliza o mesmo canal. “A iniciativa permite que a Celesc continue buscando soluções para aumentar a geração de energia usando a capacidade instalada da usina de forma plena”, completou.

As obras acontecem em função do desgaste de sua estrutura e equipamentos ao longo do tempo. A substituição das comportas de madeira, instaladas no início da década de 70, por novas, de aço, é uma das etapas mais importantes de todo o trabalho que vem sendo realizado desde o último mês de setembro de 2018. Durante a execução dos serviços, a captação de água pelo Samae será interrompida, podendo haver desabastecimento nos bairros atendidos pela ETA II. A estação de tratamento está solicitando a colaboração dos moradores para que economizem água neste período, usando somente o necessário.

A intervenção também irá permitir que equipes da empresa realizem de manutenções preventivas para evitar interrupções indesejadas nos serviços na usina. Belico comentou que antigamente, além da redução na produção de energia elétrica a cada manutenção, o nível do canal precisava ser rebaixado para garantir a segurança dos profissionais em áreas alagadas da hidrelétrica, tornando frequente os problemas de abastecimento de água nos últimos anos. Agora, a partir desta reforma, não haverá mais necessidade de esvaziar o canal para novas manutenções.

Já o Diretor de Operações do Samae, Guto Reinert, salientou que a população precisará economizar água durante o dia. Segundo ele, a forma como a Celesc e o Samae conduziram todo o processo, desde setembro de 2018, quando as obras iniciaram, contribuiu muito para otimizar as interrupções de abastecimento de água na cidade. Ele lembra que pela previsão inicial, haveria necessidade de interromper a captação de água por oito dias não consecutivos durante os seis meses de trabalho. Mas esforços conjuntos foram empreendidos e apenas três suspensões do abastecimento foram estipuladas.

Os bairros atendidos pela ETA II que poderão sofrer com falta de água são: Água Verde, Do Salto, Escola Agrícola, Salto Weissbach, Passo Manso, Velha, Velha Pequena, Velha Grande, Velha Central, Vila Nova, Fidélis, Fortaleza, Fortaleza Alta, Itoupava Norte, Tribess, Nova Esperança, Badenfurt, Itoupava Central, Itoupava Seca, Itoupavazinha, Salto do Norte, Testo Salto. De acordo com a concessionária, a partir da conclusão dos trabalhos de retirada da tubulação provisória e retomada normal da captação de água pelo Samae, o abastecimento nas regiões voltará à normalidade.