Governo inclui Angra 3, linhão de RR e leilões de geração e transmissão no PPI

Conselho qualificou projetos nas áreas de energia, transporte e logística, em reunião nesta quarta-feira, 8 de maio

O Conselho do Programa de Parcerias de Investimentos qualificou como prioritários o projeto da usina nuclear de Angra 3, a linha de transmissão Manaus-Boa Vista, os leilões de geração de energia nova A-4 e A-6 de 2019 e o leilão de transmissão que vai ofertar concessões em dez estados em dezembro desse ano. O anúncio foi feito pelo ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, que participou de entrevista coletiva na noite desta quarta-feira (8), após reunião do colegiado. O CPPI também aprovou a qualificação de projetos nas áreas de petróleo e gás, transporte e logística.

Em relação a Angra 3, foi definida a criação de um comitê de governança formada pelos ministérios da Economia e de Minas e Energia, pela secretaria do PPI e pelo Gabinete de Segurança Institucional, que ficará responsável pelo acompanhamento dos estudos de modelagem para a escolha de um parceiro para o empreendimento. Com obras paralisadas desde 2015, Angra 3 exigirá investimentos de aproximadamente R$ 16 bilhões para sua conclusão. A entrada em operação do empreendimento está prevista para janeiro de 2026.

No caso do linhão Manaus-Boa Vista, que vai conectar Roraima ao Sistema Interligado Nacional, o governo espera concluir o licenciamento até junho, para que as obras sejam iniciadas no segundo semestre desse ano. Com 715 km de extensão, dos quais pouco mais de 120 km atravessam a terra índigena Waimiri – Atroari, a linha tem conclusão prevista para dezembro de 2021.

O governo incluiu ainda no PPI três outros projetos no setor de energia elétrica que já seriam ofertados independentemente de qualquer qualificação no programa. Um deles é o leilão A-4, previsto para 27 de junho desse ano e destinado à contratação de energia nova de empreendimentos hidrelétricos, eólicos, solar fotovoltaicos e termelétricos a biomassa. Os investimentos previstos nesses projetos, segundo o MME, são da ordem de R$ 5 bilhões.

O PPI também qualificou o Leilão A-6, previsto para setembro e que vai contratar energia com inicio de suprimento a partir de janeiro de 2025. O certame é destinado à negociação de contratos de empreendimentos de fonte hídrica, de termelétricas a biomassa, a carvão e a gás, e de projetos eólicos e solar fotovoltaicos, com investimentos em torno de R$ 7 bilhões.

O quarto projeto incluído no pacote é o leilão de concessões de transmissão previsto para dezembro. O certame vai ofertar projetos com 2.477 km de linha distribuídos nos estados de Goiás, São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Acre, Pará, Bahia, Alagoas, Ceará e Rio Grande do Sul. Os empreendimentos tem tem prazo de conclusão entre 48 e 60 meses investimentos previstos de R$ 3,42 bilhões.