Cteep é a grande vencedora do leilão de transmissão

Companhia arrematou três dos 12 lotes licitados pela Aneel nesta quinta-feira, 19

A Companhia de Transmissão de Energia Elétrica Paulista (Cteep) se consagrou como a grande vencedora do leilão de transmissão realizado pela Aneel nesta quinta-feira, 19 de dezembro, após arrematar três lotes e garantir uma receita adicional de R$ 75,9 milhões pelo período de contrato de 30 anos.

O certame, que durou 3h30, apresentou grande disputa em todos os 12 lotes e contou com a participação de empresas tradicionais como Neoenergia, EDP, Energisa, Taesa, Equatorial, Cobra, Celg GT, Cemig, State Grid, além de consórcios e empresas de engenharia.

Segundo a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), os empreendimentos somam R$ 4,8 bilhões em novos investimentos. Foram viabilizadas a construção de 2.470 km em linhas de transmissão e 7.800 MVA em capacidade de transformação (subestações).

Os empreendimentos estão localizados em 12 estados (Acre, Alagoas, Bahia, Ceará, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e São Paulo.

Vencedores

A Cteep, que é controlada pela colombiana Isa, garantiu os direitos de construção, operação e manutenção dos lotes 1, 6 e 7, com obras no Rio Grande do Sul, Minas Gerais, Mato Grosso e São Paulo. São 379 km de linhas e 4.291 MVA em capacidade de transformação. As obras deverão ser construídas em um prazo entre 40 meses e 60 meses. As propostas de Cteep apresentaram deságios de 66,85% (lote 1), 68,40% (lote 6) e 65,40% (lote 7).

O lote 2 foi arrematado pela Montago Construtora, com a proposta de R$ 5,38 milhões, deságio de 56,73%. A empresa construirá uma linha de 1,6 km na Bahia e 100 MVA em capacidade de transformação.

O lote 3 foi vencido pela Zopone Engenharia, com a proposta de R$ 30,2 milhões, deságio 53,50%. Serão construídas 238 km de linhas e 450 MVA de transformação entre Minas Gerais e Rio de Janeiro.

O lote 4 ficou com o pelo Consórcio Nordeste, com a proposta de R$ 2,88 milhões, deságio de 50,93%, após disputa a viva voz com o Consórcio Lux Luz 2. Serão construídas 15 km de linhas em Alagoas.

O lote 5 foi arrematado pelo consórcio VSF Transmissoras do Brasil, com a proposta de R$ 38 milhões, deságio de 62,51%. Serão construídas 505 km de linhas e 850 MVA de capacidade de transformação entre os estados do Mato Grosso e Pará. O consórcio também levou o lote 12, com a proposta de R$ 12,2 milhões, deságio de 59,62%, após disputa a viva voz com a Barolo Participações.

O lote 8 foi arrematado pela Engepar Engenharia e Participações, com a proposta de R$ 7,9 milhões, deságio de 53,29%. Serão construídas 68 km e 300 MVA de capacidade de transformação no Ceará.

O lote 9 foi arrematado pela Neoenergia, com a proposta de R$ 18 milhões, deságio de 64,04%, após disputa a viva a voz com a Barolo Participações e com a Taesa. Serão construídas 210 km de linhas e 1 mil MVA de capacidade de transformação na Bahia.

O lote 10 foi arrematado pela Barolo Participações, com a proposta de 37,0,6 milhões, deságio de 58,35%. Serão construídas 185 km de linhas e 660 MVA de capacidade de transformação na Bahia.

O lote 11 foi arrematado pelo Consórcio Norte, com a proposta de R$ 58,1 milhões, deságio de 52,85%, após disputa a viva voz com a EDP Energias do Brasil. Serão construídas 672 km de linhas e 140 MVA de capacidade de transformação no estado do Acre.