Aneel suspende operação comercial de PCHs no ES e MG

Decisão envolve quatro turbinas das usinas São Joaquim e Serra das Agulhas, castigadas pelas fortes chuvas que acometeram as regiões no final de janeiro

A Agência Nacional de Energia Elétrica decidiu suspender a operação comercial das pequenas centrais hidrelétricas São Joaquim e Serra das Agulhas, localizadas respectivamente no Espírito Santo, no município de Alfredo Chaves, e em Minas Gerais, entre Monjolos e Diamantina. A decisão, expressa pelos despachos 413 e 491, vale para as Unidades Geradoras UG1 e UG2 de cada usina e decorre dos transtornos causados pelas fortes chuvas que acometeram as regiões no final de janeiro.

No caso de São Joaquim, a casa de força da PCH foi inundada pelo rio Benevente, tendo a produção de energia interrompida no dia 17 de janeiro. O empreendimento é explorado pela Brasil PCH e por sua controlada indireta, a São Joaquim Energia. A Renova detém 51% da Brasil PCH.

Já Serra das Agulhas, de posse da Sigma Energia, subordinada à Ômega Energia, teve o transbordamento do reservatório e avarias na barragem no dia 25 de janeiro. O rio Pardo Pequeno, onde fica a usina, atingiu níveis de quase 100 vezes a média histórica.

A operação comercial se constata pela capacidade de determinado empreendimento atender aos seus compromissos mercantis, configurado pela real capacidade de comercialização de energia elétrica, caracterizada pela disponibilidade ou até pela indisponibilidade, desde que dentro dos valores de referência declarados pelo próprio agente de geração.