Reforço à região Sul deve incluir a UTE Araucária e importação

Intercâmbio do Sudeste com reforço da região Norte está entre 8 mil e 9 mil MW médios

O diretor-geral do Operador Nacional do Sistema Elétrico, Luiz Eduardo Barata, informou nesta quinta-feira (5) que o reforço no suprimento de energia termelétrica para a Região Sul será feito provavelmente com a incorporação da UTE Araucária ao sistema e a importação de energia da Argentina e do Uruguai. O ONS também vai ampliar o intercâmbio de energia do Sudeste para o Sul, que está atualmente entre 8 mil MW e 9 mil MW médios.

“O intercambio Sudeste e Sul é geração que está vindo da Região Norte do Brasil. Da usina de Belo Monte e das usinas do Madeira. Agora, esta [transferência] hoje não está sendo suficiente, porque o nível dos reservatórios está caindo abruptamente na região sul. Por que? De novo, é o mesmo problema: falta de chuva”, explicou Barata, após participar na Comissão de Infraestrutura do Senado de audiência pública sobre a situação do reservatório de Furnas.

A adoção de medidas emergenciais para a recuperação dos reservatórios das hidrelétricas da Região Sul foi autorizada na quarta-feira, 4 de março, pelo Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico. Elas serão adotadas a partir da semana operativa que começa no próximo sábado, 7 de março.

Os três estados da Região Sul tem sido afetados há vários meses por chuvas abaixo da média histórica, o que reduziu drasticamente o nível dos reservatórios. Segundo o ONS, o volume de chuvas nas bacias dos rios Jacuí, Uruguai e Iguaçu foi abaixo da média histórica em fevereiro, e o armazenamento equivalente ficou em 20,5%. A previsão para o fim do mês de março é de que o nível dos reservatórios atinja 29,9%.

A situação será avaliada semanalmente pelo CMSE. A Agência Nacional de Águas vai criar uma sala de situação para fazer o monitoramento hidrometeorológico da região.