Covid-19: elétricas voltam a perder valor de mercado na Bolsa

Todas as 18 ações que compõem o IEEX fecham no vermelho

O Índice de Energia Elétrica (IEEX) da B3 encerrou o pregão desta quinta-feira, 12 de março, com queda de 11,59%, aos 60.947,95 pontos. O valor de mercado das elétricas iniciou uma trajetória de queda generalizada no início da semana, em parte impactadas pelo efeito da pandemia do coronavírus (covid-19) no mundo, mas também por problemas internos políticos e econômicos. Ontem, o IEEX fechou em 68.939,52 pontos, queda de 5,38%.

Todas as 18 ações que compõem o IEEX fecham no vermelho. As quedas mais acentuadas foram protagonizadas por Copel PNB (-9,58%), Energisa UNT (-6,90%), Eneva (-6,80%) e Eletrobras (-5,29%), cotadas a R$ 52,23, R$ 41,26, R$ 23,72, R$ 33,20, respectivamente.

As bolsas em todo o mundo reagiram negativamente a decisão do presidente Donald Trump de proibir voos da Europa, o que causou impacto direto nas empresas aéreas, turismo e combustível. Nesta quinta-feira, as negociações na bolsa de valores de São Paulo precisou ser interrompida por duas vezes e o Ibovespa encerrou o pregão com queda de 14,78%, aos 72.582,53 pontos.

No âmbito interno, o Congresso Nacional derrubou o veto presidencial sobre o Benefício de Prestação Continuada (BPC), criando uma despesa adicional de R$ 20 bilhões aos cofres públicos apenas neste ano. A crise causada pelo coronavírus também podo prejudicar o desempenho da economia brasileira em 2020.