Mais elétricas anunciam medidas para evitar propagação do Covid-19

Celesc e CEB fecharam todas lojas, enquanto outras companhias orientam clientes a utilizar o atendimento virtual e liberam parte dos funcionários para trabalhar em casa

Com o objetivo de diminuir os potenciais riscos de disseminação do novo Coronavírus no Brasil, as geradoras e distribuidoras de energia divulgaram ações e medidas preventivas que já estão sendo tomadas nas lojas de atendimento e operações em que há colaboradores envolvidos, no intuito de assegurar a continuidade dos serviços à população. O pedido é para que os clientes usem os canais de atendimento online para realizar serviços como segunda via de contas, consulta de débitos, solicitações de parcelamento e contato em caso de interrupção do fornecimento.

A Celesc e a CEB Distribuição, por exemplo, anunciaram nesta quarta-feira, 18 de março, o fechamento de todas agências de atendimento presencial até as respectivas datas de 24 e 22 de março, orientando os consumidores a procurarem os canais digitais. Já as equipes operacionais ficarão em contingente específicos para os atendimentos emergenciais e ocorrências de falta de energia.

Em nota, a Enel Brasil ressaltou que não há impactos no serviço de fornecimento de energia nas áreas de concessão das quatro distribuidoras do Grupo, nos Estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Ceará e Goiás, e que implementou medidas para reduzir ao máximo a circulação e aglomeração de pessoas em suas instalações e, nos casos em que as atividades presenciais que são imprescindíveis, reforçar a limpeza e as restrições de contato determinadas pelas autoridades.

Nos centros de operação da companhia, assim como divulgado pela Copel, há restrição de acesso: a entrada está liberada apenas aos colaboradores que atuam nestes espaços. Ao chegarem, há uma verificação diária da temperatura corporal. A utilização dos kits de álcool-gel é obrigatória e não é permitido o cumprimento entre as pessoas com o uso das mãos. Treinamentos e reuniões presenciais foram suspensas e os refeitórios funcionam com base em um rodízio de pessoas.

Na distribuidora paranaense, o trabalho a distância foi instituído para funcionários com mais de 60 anos, pessoas portadoras de doenças crônicas, pulmonares e imunossupressoras, em tratamento de câncer, e gestantes e lactantes. Uma pesquisa interna ainda traçou perfil dos grupos de colaboradores que devem trabalhar a distância nas próximas etapas, em função da evolução do vírus.

Já a Cemig tomou a decisão de liberar 70% dos seus funcionários da área administrativa para trabalharem em casa, contribuindo para diminuir o número de pessoas circulando pelos 23 andares do prédio-sede da Avenida Barbacena 1.200, em Belo Horizonte. O mesmo aconteceu nos escritórios regionais no interior de Minas Gerais. Visitantes e fornecedores tiveram a entrada nas dependências da empresa suspensa desde a última segunda-feira (16), à exceção da entrega de produtos.

A Neoenergia, por sua vez, emitiu um comunicado em que reforça atendimentos prioritários à saúde e abastecimento de água através de canais exclusivos que estão sendo disponibilizados para atender com maior agilidade eventuais ocorrências em hospitais, unidades de saúde e companhias de água e esgoto. A empresa recomendou a população que evite contato físico com leituristas e técnicos, e deu orientações de prevenção para os profissionais que realizam atividades de campo.

Preventivamente, atividades educativas de eficiência energética da companhia, além das ações de troca de material reciclados e distribuição de lâmpadas LED, foram suspensas, com o calendário normal estando condicionado a ser retomado após avaliação futura do avanço da propagação do vírus.

INB também apresenta medidas

As Indústrias Nucleares do Brasil – INB tomaram algumas medidas levando em conta a manutenção das operações e a segurança das instalações, bem como a continuidade ao atendimento às condicionantes das licenças nas unidades, mas também buscando reduzir ao estritamente essencial as atividades da empresa de tal modo que seja possível diminuir a presença física de pessoal nas suas instalações.

Empregados do grupo considerado de risco devem desenvolver as atividades remotamente por 15 dias. Os demais foram orientados a trabalharem em escala de revezamento. Funcionários com filhos com idade inferior a 12 anos ou com idosos em casa também poderão trabalhar em regime de home-office. Os profissionais que viajaram recentemente ao exterior para países onde o surto de Coronavírus é crítico, conforme informação da OMS, serão orientados a trabalharem de casa durante 14 dias. Para aqueles que retornaram de viagem dos demais países, o período será de sete dias.

A entidade também informou que um Gabinete Central de Crise foi criado internamente com o objetivo de promover uma ação coordenada e traçar as diretrizes enquanto permanecer esse cenário. Durante a pandemia, ficam suspensas também as visitas a todas as unidades da INB e ao Espaço INB, centro de informações localizado em Caetité/BA. As medidas têm validade de 15 dias, podendo ser alteradas a qualquer momento caso novas adequações se façam necessárias.