Cemig flexibiliza pagamentos e não poderá cortar energia do Tarifa Social

Medidas anunciadas pelo Governo de MG valem até 30 de abril; hospitais públicos e microempresas também serão beneficiadas

Uma série de medidas de auxílio à população de baixa renda em meio a esse momento de crise sanitária e disseminação do novo Coronavírus foi anunciada na tarde da última segunda-feira (23) pelo governador de Minas Gerais, Romeu Zema. A Cemig, por exemplo, irá flexibilizar o fluxo de pagamentos para as contas e garantir o fornecimento de energia elétrica para todos os clientes cadastrados como tarifa social, que não poderão ter o fornecimento interrompido em caso de inadimplência. Além disso, poderão parcelar as suas faturas em até seis vezes, sem juros e multas. As medidas valem inicialmente até o dia 30 de abril para toda a área de concessão da empresa, contemplando mais de 2 milhões de pessoas em todo estado.

Hospitais públicos, filantrópicos, além de unidades de pronto atendimento, enquadram-se nas mesmas medidas e receberão tratamento diferenciado pela empresa neste período. Para estes, os valores faturados e não arrecadados serão objeto de parcelamento sem a incidência de multas e juros. As microempresas contempladas no decreto governamental também terão seu débito parcelado em até seis vezes sem juros, o que atenderá os clientes que formalizarem a solicitação junto à Cemig através dos canais virtuais disponibilizados pela empresa.

Desde a última semana, a companhia vem adotando medidas para preservar a saúde de sua força de trabalho e a de seus clientes, determinando home office para 70% dos seus colaboradores da área administrativa e tomando ações para evitar o contato dos trabalhadores com os clientes. De acordo com a empresa, a manutenção das redes de energia e o atendimento nos endereços de consumo, de todos os clientes, continuam acontecendo normalmente, pois se trata de trabalho ao ar livre, sem aglomeração de pessoas.