Neoenergia energiza cinco subestações em cinco meses

Empresa também conquistou licenças de novos projetos de transmissão

Entre janeiro e junho deste ano, as distribuidoras do grupo Neoenergia energizaram cinco subestações nos estados de Pernambuco (Celpe) e Rio Grande do Norte (Cosern), reforçando o fornecimento de energia nesses estados do Nordeste. Ao todo, mais de 40 mil clientes serão diretamente beneficiados por essa nova infraestrutura.

“A entrega desses empreendimentos representa o compromisso da Neoenergia e suas distribuidoras em continuar aperfeiçoando o serviço prestado ao cliente não apenas de grandes centros urbanos, como as capitais, mas também de polos descentralizados e com grande potencial turístico e industrial. Os projetos também contam com as melhores tecnologias aplicadas ao setor de distribuição atualmente”, disse Joe Morra, superintendente de Expansão da Neoenergia, em nota à imprensa.

Os empreendimentos, que estão dentro das diretrizes da empresa para ampliação tecnológica e digitalização do sistema, entraram em operação nas cidades de Bodocó, Goiana, Ipojuca e Canhotinho, em Pernambuco; e na cidade de Itajá, no Rio Grande do Norte.

Projetos em andamento

Além dos empreendimentos entregues, a Neoenergia recebeu a licença para a construção de uma linha de transmissão no Paraíba e Ceará e a já possui licença prévia para um dos empreendimentos que serão construídos no Rio Grande do Sul.

O primeiro empreendimento, com 345 quilômetros de extensão, entre os estados da Paraíba e do Ceará, contará ainda com a construção de uma nova subestação de 500 kV em Santa Luzia, interior paraibano. Já o segundo empreendimento, passará por cinco municípios do Rio Grande do Sul: Santana do Livramento, Rosário do Sul, São Gabriel, Dilermando de Aguiar e Santa Maria, com extensão de 225 quilômetros e capacidade de 230 kV – este projeto faz parte do Lote 04, que contará com mais três linhas de transmissão: Povo Novo – Guaíba, com 234 km e 525kV; Capivari do Sul – Siderópolis 2, com 225,2 km e 525kV e Siderópolis 2 – Forquilhinha, com 27,2 km e 230kV.

Quando concluída, o empreendimento irá contribuir para o escoamento da geração eólica da região, reforçando o sistema elétrico da Região Sul e o Sistema Interligado Nacional (SIN).