Copel desvia rio para finalizar barragem de PCH

Montagem eletromecânica da usina Bela Vista está prevista para 8 de agosto

A primeira metade das obras da pequena central hidrelétrica Bela Vista (PR) foi concluída na semana passada com o desvio temporário do rio Chopim, manobra necessária para permitir a continuidade da construção da barragem iniciada pela margem esquerda e que agora poderá avançar pelo leito do rio até a margem direita, informou a Copel.

Para iniciar a construção da barragem e das adufas (vãos de concreto por onde o rio está sendo desviado), foram erguidas ensecadeiras – barragens provisórias de terra que isolaram a porção do leito onde se concentraram os trabalhos na primeira fase, e que foram retiradas ao longo dos últimos dias.

O diretor geral da Copel Geração e Transmissão, Moacir Carlos Bertol, afirma que o desvio do rio é um dos principais marcos da obra e, mesmo diante dos desafios e limitações impostas pela pandemia, o cronograma do projeto está sendo cumprido em seus prazos. “Resultado de uma gestão eficiente e do comprometimento das equipes da engenharia, meio ambiente e fundiário que estão trabalhando em ritmo intenso e de forma coordenada”, declara.

Em outras frentes de serviço, avançam os trabalhos para construção da estrutura da casa de força que vai abrigar as unidades geradoras de energia e do circuito de geração que vai levar a água do reservatório até as turbinas. Também foi iniciada a instalação de linha de distribuição em alta tensão, responsável por escoar a eletricidade produzida na usina até a subestação existente da cidade de Dois Vizinhos. O próximo grande marco é o início da montagem eletromecânica, previsto para o dia 8 de agosto.

Próximo ao canteiro da PCH, que terá 29 MW de potência, também seguem em andamento as obras da ponte sobre o rio Chopim que fará a ligação rodoviária entre os municípios de Verê e São João. A ponte terá extensão de 200 metros e estrutura em concreto, no local onde hoje é feita a travessia por balsa.