PF cumpre mandados de prisão em investigação envolvendo a Eletronuclear

Operação investiga fraudes em contratos e cumpre também 17 mandados de busca e apreensão

A Polícia Federal deflagrou nesta quinta-feira, 25 de junho, a Operação Fiat Lux, com o objetivo de investigar fraudes em contratos da Eletronuclear. Estão sendo cumpridos 17 mandados de busca e apreensão e 12 de prisão temporária, nos estados do Rio de Janeiro (capital, Niterói e Petrópolis), São Paulo e no Distrito Federal.

Em nota, a PF disse que a investigação é mais uma etapa que visa atingir os responsáveis por contratos fraudulentos e pagamento de propina na empresa, que não foram abrangidos pelas operações Radioatividade, Irmandade, Prypiat e Descontaminação, todas deflagradas para a execução de mandados em desfavor dos personagens envolvidos na organização criminosa.

A investigação teve como base a colaboração premiada de dois lobistas, que foram presos em 2017, por ordem da 13a Vara Federal de Curitiba/PR.

A Eletronuclear, subsidiária da Eletrobras, informou ao mercado que tomou conhecimento da operação pela imprensa. “A companhia está acompanhando o assunto e manterá o mercado informado”, disse em comunicado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM).