Enel inicia reorganização societária nas Américas

Processo foi aprovado pelo Conselho da Enel Américas, apenas a operação no Chile foi excluída, e inclui ativos de geração renovável nos países da América Central e do Sul

A Enel iniciou o processo de reorganização societária das participações do Grupo para o negócio de energia renovável na América Central e do Sul, à exceção do Chile. Com isso, o processo chega ao Brasil, além de Argentina, Colômbia, Costa Rica, Guatemala, Panamá e Peru que serão unificadas na Enel Américas.
Segundo o comunicado da empresa italiana, a transação é consistente com os objetivos estratégicos e permite uma maior simplificação do grupo e sua estrutura corporativa, alinhando assim a configuração de negócios da Enel Américas com o resto do grupo.
A reorganização societária prevê a integração na Enel Américas dos ativos renováveis classificados como não convencionais por meio de uma série de transações que culminaram na fusão com a Enel Américas. Tal fusão, contina a empresa, resulta em um aumento da participação da Enel na Enel Américas, exigirá a alteração do estatuto da subsidiária por meio de uma assembleia de acionistas para remover as limitações existentes pelas quais um único acionista não pode deter mais de 65% dos direitos de voto.
Em parecer preliminar sobre a reorganização a Enel holding afirmou que a operação deverá ocorrer de acordo com termos e condições de mercado, e ainda, que garanta uma posição financeira da Enel Américas que alimente o desenvolvimento futuro de negócios renováveis, bem como as perspectivas de crescimento da empresa. O parecer está sujeito à avaliação pela Enel dos termos e condições finais a ser submetido à aprovação da assembleia de acionistas da Enel Américas.