AIE: demanda global de energia deve cair 5% em 2020

Estudo mostra que investimentos deverão recuar 18%. Resposta de governos vai determinar impactos e transição

O World Energy Outlook 2020, publicação da Agência Internacional de Energia, sinaliza que a demanda global de energia deve recuar 5% em 2020, as emissões de CO2 relacionadas à energia 7% e o investimento em energia será reduzido em 18%. De acordo com o relatório, 2020 foi um ano tumultuado para o sistema global de energia e a pandemia deixou mais transtornos do que qualquer evento da história recente, deixando cicatrizes que durarão por muitos anos. Com isso, a maneira como os governos vão responder a esse desafio vai determinar a velocidade da transição.

O documento apresenta quatro cenários que mostram como o setor de energia poderia se desenvolver. No Cenário de Políticas Declaradas, que reflete as intenções e metas das políticas anunciadas hoje, a demanda global de energia se recupera ao nível de antes da crise no início de 2023. Porém, isso não acontecerá até 2025 em caso de pandemia prolongada e recessão mais profunda. O crescimento mais lento da demanda reduz as perspectivas para os preços do petróleo e gás em comparação com as tendências anteriores à crise. Mas grandes quedas no investimento aumentam o risco de volatilidade do mercado futuro.

As energias renováveis assumem papéis de destaque em todos os nossos cenários. A energia solar é agora consistentemente mais barata do que as novas usinas movidas a carvão ou gás na maioria dos países e os projetos solares agora oferecem um dos menores custos já vistos. No Cenário de Políticas Declaradas, as energias renováveis atendem a 80% do crescimento da demanda global de eletricidade na próxima década. A energia hidrelétrica continua a ser a maior fonte renovável, mas a solar é a principal fonte de crescimento, seguida pela energia eólica onshore e offshore.

O diretor-geral da AIE, Fatih Birol, vê a solar tornando-se a nova líder dos mercados. Segundo ele,  caso governos e investidores intensifiquem seus esforços de energia limpa em linha com o Cenário de Desenvolvimento Sustentável, o crescimento da energia solar e eólica seria ainda mais espetacular e encorajador para superar o desafio climático mundial.

O World Energy Outlook 2020 mostra que o forte crescimento das energias renováveis precisa ser combinado com um investimento robusto em redes de eletricidade. Sem investimento suficiente, as redes se mostrarão um elo fraco na transformação do setor de energia, com implicações para a confiabilidade e segurança do fornecimento. Já os combustíveis fósseis enfrentam desafios variados. A demanda por carvão não retorna aos níveis anteriores à crise no Cenário de Políticas Declaradas, com a participação na matriz de 2040 caindo abaixo de 20% pela primeira vez desde a Revolução Industrial. Porém a demanda por gás cresce, principalmente na Ásia, enquanto o petróleo continua vulnerável às incertezas resultantes da pandemia.

Para Birol, a era de crescimento da demanda global de petróleo terminará na próxima década, mas sem uma grande mudança nas políticas governamentais, essa queda não será veloz.

No Cenário de Desenvolvimento Sustentável, que mostra como colocar o mundo no caminho certo para alcançar os objetivos de energia sustentável na íntegra, a implementação completa do Plano de Recuperação Sustentável da AIE move a economia global de energia para um caminho pós-crise diferente. Além do rápido crescimento das tecnologias de energia solar, eólica e de eficiência energética, os próximos 10 anos veriam um grande aumento da captura, utilização e armazenamento de hidrogênio e carbono, e um novo impulso por trás da energia nuclear.

Apesar dos desafios, a visão de um mundo com emissões líquidas zero está cada vez mais em foco. O caminho ambicioso traçado no Cenário de Desenvolvimento Sustentável depende de os países e empresas atingirem suas metas de emissões líquidas zero anunciadas no prazo e na íntegra, levando o mundo inteiro a zero líquido até 2070.