PLD inicia novembro com alta de 17% no SE/CO, Sul e Norte

Submercado Nordeste registra redução de 19%, segundo a CCEE

O Preço de Liquidação das Diferenças – PLD para a primeira semana de novembro cresceu 17% nos submercados Sudeste/Centro-Oeste, Sul e Norte, passando de R$ 317,03/MWh para R$ 370,77/MWh, informa a Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE), apontando também queda de 19% na região Nordeste, com o preço médio indo de R$ 185,11/MWh para R$ 150,60/MWh.

De acordo com o levantamento, o principal fator responsável pela elevação do Preço foi a realização pessimista de afluências de outubro para o Sistema Interligado Nacional (SIN), associado a elevação na expectativa de carga para os meses de novembro e dezembro. Os limites de envio de energia do Nordeste foram atingidos em todos os patamares, mantendo o descolamento dos preços em relação aos outros subsistemas.

Em outubro as afluências ficaram em torno de 43% da média de longo termo (MLT) para o sistema, sendo 53% no Sudeste; 21% no Sul; 50% no Nordeste e 58% no Norte. Para novembro, a expectativa é de afluências em torno de 67% da média para o sistema, sendo 76% da MLT no Sudeste; 28% no Sul; 68% no Nordeste e 97% no Norte.

A carga prevista para novembro e dezembro apresentou aumento de 2.060 MW médios e 3.066 MW médios, respectivamente. Já para a primeira semana operativa de novembro, em relação a revisão anterior, a expectativa é que a carga do SIN fique em torno de 1.295 MW médios mais baixa, sendo +194 MW médios no Nordeste e +91 MW médios no Norte. Já o SE/CO e Sul apresentaram redução de 877 MW médios e 703 MW médios.

Os níveis dos reservatórios conectados ao SIN ficaram cerca de 1.515 MW médios acima do esperado, mais altos no SE/CO (204 MW médios), Sul (677 MW médios) e Nordeste (980 MW médios) com relação a expectativa anterior. Já o armazenamento está 346 MW médios mais baixo no Norte do país. O fator de ajuste do MRE para outubro está estimado em 64,7% e a previsão para novembro é de 71,5%.

Quanto ao Encargo de Serviços do Sistema (ESS), é previsto R$ 563,5 milhões para outubro, sendo R$ 8,4 milhões devido a restrições operativas, R$ 319,1 milhões devido a segurança energética, R$ 109 milhões em relação a reserva operativa de potência, R$ 27,7 milhões por unit commitment e R$ 99,3 milhões devido a importação por segurança energética. Para essa primeira semana de novembro, deve continuar ocorrendo despacho por segurança energética visando garantir a não degradação do armazenamento da região Sul.