Grupo Eletrobras unifica gestão com implementação do ERP da SAP

Holding finaliza processo para maior eficiência operacional e economia de suas dez empresas com a Engineering Brasil

As dez empresas do Grupo Eletrobras tiveram seus sistemas de gestão unificados com a implementação do ERP (do inglês, Enterprise Resource Planning) da SAP. Segundo a holding, além da economia anual com a redução de licenças de softwares, o grupo obteve uma visão única do negócio, resultando em melhorias na operação e ganhos em eficiência.

Denominado ProERP, o projeto foi executado pela Engineering Brasil, companhia global de tecnologia da informação e consultoria especializada em transformação digital, que executou a implementação em 31 meses, tendo a conclusão da última fase ocorrido em janeiro deste ano.

Cerca de mil profissionais entre companhia de TI e empresas do grupo trabalharam para a integração, entre elas Eletrobras, Furnas, Eletronorte, Eletronuclear e CGTEE, que utilizaram seus processos como base para a construção do sistema ERP único e padronizado, pois já utilizavam a tecnologia SAP. Já a Chesf, CGT Eletrosul, Amazonas GT, Cepel e Eletropar migraram seus sistemas para o ERP alemão.

Atualmente, a companhia de TI está apoiando o grupo no desenvolvimento de melhorias e subprojetos e, também, no fornecimento de serviços de operação assistida (AMS, do inglês Application Management Services). Esse último é operado num regime de atendimento de 72 horas semanais. Entre abril de 2018 a outubro de 2020, foram  mais de 21 mil chamados de suporte da instalação atendidos, dentro de um espectro de aproximadamente 17 mil usuários utilizando os módulos e tecnologias implementadas.

“Nossos objetivos eram otimizar a utilização e alocação de recursos internos, coordenar as políticas e as práticas do Grupo Eletrobras, além de padronizar os processos de suporte das empresas da holding, o que, consequentemente, aumentou a transparência e a visibilidade dos processos em função da disponibilização das informações sobre a evolução dos negócios”, explica Martim Tuma, diretor de operações SAP da Engineering Brasil.

As empresas em questão são responsáveis por 30% da capacidade nacional de geração de energia e por 45% do total de linhas de transmissão de alta tensão, gerenciados agora num único sistema, o que trará agilidade nas tomadas de decisão e melhorias para a operacionalidade, com maior confiabilidade acerca do registro das informações, dos processos de negócio e dos trâmites com os órgãos e as agências reguladoras.

Em relação aos recursos humanos, a adoção do SAP HCM (Human Capital Management) habilita uma gestão mais otimizada para eeste macroprocesso, envolvendo a folha de pagamento, avaliação de desempenho, gestão de conhecimento, entre outros benefícios.