Enel e Senai-SP firmam parceria para P&D com realidade virtual e A.I

Projeto prevê nova plataforma de treinamento e desenvolvimento dos colaboradores da empresa por meio de atividades imersivas

A Enel Distribuição São Paulo fechou uma parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial de São Paulo (Senai-SP) para avançar com o projeto que prevê a remodelagem do atual plano de treinamento e desenvolvimento de funcionários, considerando a inserção da tecnologia de realidade virtual associada a inteligência artificial e uso de sensores biomédicos, que possibilitará avaliar e traçar aspectos comportamentais dos colaboradores no decorrer das atividades do treinamento.

Através da imersão em cenários próximos à realidade diária dos profissionais, a tecnologia possibilitará  simular situações de perigo e adversidades dentro de um ambiente controlado, e que no futuro irão permitir ampliar a capacidade dos empregados com diferentes tipos de experiência, garantindo melhorar o nível de excelência operacional, além de mitigar riscos e acidentes de trabalho.

Segundo a companhia, a implementação da plataforma de treinamento vai permitir o desenvolvimento dos profissionais a partir dos dados coletados, aumentando a capacidade técnica, cognitiva e psicológica da equipe para uma maior eficiência operacional.

Para diretor de Tecnologia de Rede da Enel Brasil, Bruno Cecchetti, o Plano Imersivo também poderá beneficiar outras empresas do setor elétrico, com base nos resultados alcançados no projeto desenvolvido em parceria com a Enel SP e replicado nas distribuidoras do grupo nos estados do Rio de Janeiro, Ceará e Goiás.

O projeto, que envolve diversas áreas da Enel como Saúde, Segurança, Meio Ambiente, Operação e Inovação, em parceria com o Instituto Senai de Tecnologia em Energia, de Inovação em Materiais Avançados, Nanocompósitos e o de Tecnologia em Metalmecânica e Indústria 4.0, teve início em setembro. As simulações iniciais ocorrerão na Base Operacional de Guarapiranga da Enel SP, localizada na zona Sul da capital. Após a conclusão dos testes, o piloto poderá ser expandido para outras distribuidoras do grupo no Brasil.