Projeto da Light prevê economia anual de R$ 2,2 milhões para a Fiocruz

Além da unificação dos sistemas de condicionamento ambiental da unidade responsável pela fabricação de vacinas, Farmanguinhos também será beneficiada na segunda fase do projeto

A Light anunciou que está avançando para concluir o projeto de eficiência energética que visa implementar a unificação dos sistemas de condicionamento ambiental do Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos (Bio-Manguinhos), unidade da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) responsável por pesquisa, inovação, desenvolvimento tecnológico e pela produção de vacinas, reativos e biofármacos voltados para atender prioritariamente às demandas da saúde pública de todo o país.

O investimento na iniciativa, feito por meio da Chamada Pública de Projetos (CPP) regulada pela Aneel, é de mais de R$ 6 milhões e trará como resultado uma economia de energia de 3,6 GWh/ano, equivalente ao consumo de 24 mil residências e R$ 1,2 milhão para os cofres da Fiocruz.

Dentre as ações realizadas estão a interligação hidráulica dos sistemas industriais de três Centrais de Água Gelada (CAG) e a instalação de um sistema de automação específico para controle energético de toda a central da unidade, localizada em Manguinhos, Zona Norte do Rio de Janeiro.

A Light também afirmou estar iniciando a segunda etapa do projeto no Instituto de Tecnologia em Fármacos –Farmanguinhos, com um aporte de R$ 8 milhões e que estima como resultado uma economia anual de R$ 980 mil na conta de luz da instituição, que atua de forma múltipla nas áreas de educação, pesquisa, inovação, desenvolvimento tecnológico, produção de medicamentos.

A etapa contemplará melhorias nos sistemas de iluminação e de condicionamento ambiental de Farmanguinhos, com a previsão de troca de mais de 1.800 lâmpadas convencionais por tecnologia LED. Ademais equipamentos da CAG também serão substituídos, contando ainda com a automação dos sistemas que irão garantir redução ainda maior nos gastos e melhorar a qualidade da energia para a unidade.