Copel e Engie recebem prêmio por combate às mudanças climáticas

Selo Clima Paraná reconheceu 46 empresas por suas atuações e verificações em prol de uma economia de baixo carbono

A Copel recebeu a premiação máxima do Selo Clima Paraná, iniciativa governamental que visa combater as mudanças do clima e ampliar a competitividade econômica no contexto de uma economia de baixo carbono. A companhia foi outorgada com o Selo Plus, para empresas que submetem os Inventários de Emissões à verificação de uma auditoria independente, acreditada pelo Inmetro, comprovando redução das emissões.

As outras duas categorias são o Selo Clima Paraná Original, para empresas que elaboram inventários das emissões de gases de efeito estufa e os submetem à validação da SEDEST; e o Selo Ouro, para empresas que submetem os Inventários de Emissões à verificação de uma auditoria independente, acreditada pelo Inmetro, como no caso da Engie Brasil, que conquistou o prêmio pelo segundo ano seguido pela atuação das hidrelétricas Salto Osório e Salto Santiago, localizadas no Rio Iguaçu (PR), e que contam com planos de proteção da biodiversidade, em especial à preservação da ictiofauna endêmica do rio, além da produção de mudas no horto ambiental de Salto Osório.

Ao todo foram 46 empresas premiadas, as quais voluntariamente decidiram medir, divulgar e reduzir as emissões de gases de efeito estufa, causadores do aquecimento global e das mudanças do clima. O evento é uma iniciativa da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo (SEDEST-PR) e da Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep). A referência metodológica da premiação é o Programa Brasileiro GHG Protocol, concebido e gerido pelo Centro de Estudos de Sustentabilidade da Fundação Getúlio Vargas, em São Paulo.

A sexta edição aponta crescimento na elaboração de inventários corporativos de emissões de gases de efeito estufa, somando 115 unidades industriais agregadas em 46 empresas outorgadas com o selo, representando 26% das emissões na indústria paranaense. Em 2015, quando a premiação foi criada, 21 organizações foram reconhecidas, o que representava à época 7% das emissões da indústria no Paraná.

Durante o evento de celebração, o secretário do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo no Paraná, Márcio Nunes, anunciou ainda uma novidade: o programa Descomplica Energia Sustentável, que concederá subsídios para instalação de painéis solares fotovoltaicos e fontes eólicas.

“Da mesma forma que lançamos o Descomplica Rural, programa que trouxe agilidade nos processos de licenciamento ambiental no campo, agora vamos lançar mais esse programa, voltado à geração de energia sustentável”, finaliza Nunes.