Mez queria levar sete dos 11 lotes no leilão de transmissão

Empresa conseguiu cinco projetos e agora soma aportes que passam de R$ 3 bilhões nos próximos anos e promete avançar para geração e comercialização

A maior vencedora do leilão de transmissão desse ano não é necessariamente uma novidade no segmento. O Grupo MEZ, que arrematou quase metade dos lotes colocados em disputa, apesar de completar apenas um ano desde sua fundação, já possui quatro projetos em desenvolvimento no país e que somam R$ 715 milhões em investimentos, três empreendimentos resultado de aquisições e um de disputa no certame de um ano atrás.

A Mez entrou na disputa desta quinta-feira, 17 de dezembro, por meio dos Consórcios Saint Nicholas I e II com a Mez Energia e Participações Ltda. e Mez Energia Fundo de Investimentos em Participações em Infraestrutura. Somente nesta oportunidade foram arrematados projetos cujo investimento é estimado pela Aneel em R$ 2,4 bilhões, ou 33% do total que foi colocado no certame.

A gerente jurídico da Mez, Kelly Santos, explicou que a empresa tinha como meta levar sete dos 11 projetos para dentro de seu portfólio. Ficou com cinco e classificou esse resultado como bem sucedido. A companhia tem origem no segmento de construção civil, seus sócios são oriundos da construtora Eztec, mais conhecida por atuar no mercado imobiliário.

“Nossa experiência vem de estruturar projetos tanto em certames como por meio de aquisição de outras transmissoras. A nossa estratégia é crescer nesse segmento e hoje demos um grande passo para isso”, comentou ela em entrevista coletiva após o leilão.

Com os projetos arrematados neste leilão a companhia soma mais de R$ 3 bilhões em aportes nos próximos anos. E para financiar todo esse volume deverá recorrer às diversas fontes de recursos, passando desde o BNDES, debêntures e bem como por recursos próprios. A executiva garante que apesar de ser uma companhia com apenas um ano de vida tem capacidade técnica e financeira para tocar os projetos assumidos. “Além disso, temos gestão eficiente no campo financeiro e de projetos. Nossa origem em construção viabiliza a nossa eficiência operacional”, acrescentou.

Além transmissão, disse a representante, a companhia também prevê aumentar sua atuação no setor elétrico tanto em geração de energia renovável quanto em comercialização, mas não forneceu mais detalhes sobre o tema.