CPFL investe R$ 20 mi e mira eletrificação de sua frota até 2022

Projeto em parceria com Siemens, Volkswagen e outros agentes também cria Laboratório de Mobilidade Elétrica em Indaiatuba

A CPFL Energia anunciou que está investindo R$ 20 milhões para criação do Laboratório de Mobilidade Elétrica em Indaiatuba (SP) e que prevê trocar toda sua frota operacional por veículos elétricos até 2022. O projeto foi iniciado no ano passado e conta com parceria da Siemens, que vai desenvolver os carregadores, e da Volkswagen, que entrará com dois caminhões elétricos, com carrocerias e cestos aéreos fabricados pelo Senai Cimatec.

A iniciativa também conta com participação do Gesel, VW Caminhões e Ônibus, BYD e JAC Motors, no intuito de fomentar os estudos e a criação da infraestrutura do laboratório. Segundo a companhia, serão sete etapas de entregas e implementação dos veículos. A terceira, iniciada em março, prevê 11 VEs e oito eletropostos para a CPFL Piratininga, que atende a cidade de Indaiatuba.

A ação envolverá carros operacionais com implementos, totalmente adaptados para a inspeção de campo como Furgão e Picape com armários para serviços técnico-comerciais, além dos caminhões com escada central e cesto aéreo. A companhia também fará a implementação de mais pontos de recarga, totalizando 17 sistemas instalados para atender a demanda na região.

Hoje a CPFL conta com uma frota de aproximadamente 4.500 veículos. Com o início das trocas, a empresa já possui 15 VEs distribuídos em cidades da sua área de concessão, casos de Campinas, São Leopoldo, Sorocaba, Ribeirão Preto e Santos.

“O projeto em Indaiatuba é apenas o começo de uma grande transformação e engloba uma série de ações estruturantes no âmbito da mobilidade elétrica. Estamos trabalhando com visão de longo prazo, a fim de identificar tendências e caminhos para novos negócios em um cenário de mudanças do mercado”, afirma Renato Povia, diretor de Estratégia e Inovação da CPFL.

A ação faz parte do plano de sustentabilidade da holding, que planeja viabilizar a transformação do setor de energia brasileiro e reduzir os impactos gerados pela natureza do seu negócio. Até 2024, o grupo pretende aplicar mais de R$ 1,8 bilhão para impulsionar a transição de uma forma mais sustentável e inteligente, direcionando mais de R$ 45 milhões em projetos para fomentar a eletormobilidade no Brasil, por meio de projetos de Pesquisa e Desenvolvimento.