Energisa vai construir 15 parques solares em 2021

Subsidiária Alsol visa negociar 76 MWp com aluguel de cotas

A Energisa vai construir mais 15 parques solares em 2021 com destinação ao aluguel de energia por cotas, chegando a 76 MWp em projetos administrados pela subsidiária Alsol Energias Renováveis, informou o presidente da Energisa, Ricardo Botelho, durante teleconferência com acionistas nessa sexta-feira, 12 de março.

O executivo salientou que esse tipo de contratação atingiu 27 MWp ao longo de 2020 na controlada, que também está realizando iniciativas de microrredes e mobilidade elétrica solar, desenvolvendo produtos para serem lançados futuramente no mercado.

“Vamos intensificar nossa estratégia para oferta de produtos e serviços ao tema energético e verticais, como a fintech Evoltz, aproveitando nosso ecossistema com presença local e capilaridade”, comentou Botelho.

Ele destacou a atuação da comercializadora, que atingiu a 23º posição no ranking de energia transacionada na CCEE, um bom avanço em relação ao ano interior, além da Energisa Soluções, que tem se consolidado em sua média histórica de crescimento.

Perguntado sobre a inadimplência da distribuidora, que segundo dados compilados pelo Ministério de Minas e Energia, subiu de 3% em dezembro para 9% em janeiro, o diretor de Regulação da companhia garantiu que a concessionária está acima da média setorial realizada pela Aneel e salientou que o cálculo do MME acontece pelo fluxo de inadimplência, não levando em consideração aquelas contas renegociadas.