Light antecipa parcela de GSF em aberto ao pagar R$ 1,3 bi

Empresa afirma que desistirá de ação judicial assim que valores forem homologados pela Aneel e que sua extensão de concessão é em média de 24 meses

A Light seguiu a tendência de outras empresas e aderiu à antecipação do pagamento de sua parcela em aberto na liquidação financeira do mercado de curto prazo referente a operações de fevereiro. A empresa informou em comunicado ao mercado que liquidou R$ 1,3 bilhão junto à Câmara de Comercialização de Energia Elétrica pela repactuação do risco hidrológico.

E informou ainda que atenderá às demais exigência definidas na Resolução Normativa Aneel no.895/2020 para a adesão ao acordo, incluindo a desistência de ação judicial tão logo os valores calculados sejam homologados pela agência reguladora.

Segundo a Light, as usinas Fontes Nova, Nilo Peçanha, Pereira Passos, Santa Branca e Ilha dos Pombos terão a extensão da concessão por 24 meses, em média. E acrescenta que mesmo após a efetivação do pagamento continua com uma posição de caixa que classifica como robusta, de R$ 2,7 bilhões.

Ainda nesta quarta-feira, 7 de abril, a CCEE divulgará o balanço da liquidação financeira do Mercado de Curto Prazo referente às operações de fevereiro. Com essa liquidação a tendência é de que os valores em aberto por conta de decisões judiciais devam alcançar um valor de pouco mais de R$ 5 bilhões, caso não haja outros geradores que aderirem de forma antecipada ao pagamento.