Tarifas em MT e MS ficarão 8,90% mais caras

Reajuste das distribuidoras do grupo Energisa vão afetar 2,5 milhões de unidades consumidoras nos dois estados

As tarifas da Energisa Mato Grosso e da Energisa Mato Grosso do Sul serão reajustadas em média em 8,90% a partir desta terça-feira, 22 de abril. No caso da EMT, o efeito médio a ser percebido pelos consumidores da alta tensão é de 10,36%, enquanto os baixa tensão terão impacto de 8,34%. Para a EMS, o efeito médio ficará em 10,69% (AT) e em 8,27% (BT).

O resultado das duas distribuidoras reflete as novas medidas adotadas pela Agência Nacional de Energia Elétrica para evitar aumentos tarifários acima de dois dígitos em 2021. Além da reversão de recursos do empréstimo da Conta Covid para reduzir o impacto no reajuste anual, foi feito o reperfilamento dos custos de instalações da rede básica existente; antecipação de receitas de ultrapassagem de demanda e excedente de reativos que seriam abatidas na tarifa somente no processo de revisão tarifária; uso de excedentes financeiros gerados por Itaipu e retirada de custos da Parcela B que serão incluídas na tarifa no próximo reajuste. Foi autorizado ainda o adiamento do repasse às tarifas de custos relacionados à previsão de risco hidrológico para os próximos 12 meses.

A Energisa atende aproximadamente 1,5 milhão de unidades consumidoras na área de concessão de Mato Grosso e cerca de 1,06 milhão de unidades consumidoras em Mato Grosso do Sul.