ANP autoriza Petrobras e Ambar a importarem gás natural

Estatal vai importar GNL para mercado spot, enquanto Âmbar visa abastecer térmica no Mato Grosso

A Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis autorizou nesta sexta-feira, 14 de maio, que a Petrobras importe GNL de qualquer país no mercado de curto prazo. O volume liberado é de 31 milhões de m³ de GNL/ano, equivalentes a 51 milhões de m³ de Gás Natural por dia. O mercado potencial corresponde à demanda de Gás no Brasil, com exceção da Região Norte e do Estado de Mato Grosso.

O gás será entregue nos terminais da Baía de Guanabara, no Rio de Janeiro; do Porto de Pecém, no Estado do Ceará e da Bahia e da Baía de Todos os Santos, na Bahia, onde também estão localizadas as Estações de Regaseificação de GNL. A autorização vale até 31 de janeiro de 2023 e está limitada apenas para a importação de Gás na forma GNL.

A ANP também autorizou a Âmbar Energia a importar até 2,3 milhões m³/dia de gás natural da Bolívia. O transporte será feito pelo Gasoduto Lateral-Cuiabá, ligando as cidades de Cáceres e Cuiabá, no Mato Grosso; e será entregue na fronteira entre Bolívia e Brasil, em Cáceres. O gás será destinado em potencial para a UTE Mário Covas, a UTE Cuiabá (MT – 480 MW) e a autorização vale até 31 de dezembro de 2022.