CBA decide aderir ao programa de Redução Voluntária de Demanda

Participação não impactará a produção de alumínio, já que a empresa realizará apenas um deslocamento da demanda do SIN durante as horas do dia

A Companhia Brasileira de Alumínio (CBA) decidiu aderir ao programa de Redução Voluntária de Demanda de Energia Elétrica (RVD) do governo que incentiva grandes consumidores de energia a reduzir ou deslocar o consumo de energia para fora dos horários de maior demanda do sistema elétrico e evitar sobrecarga.

Segundo a companhia, a participação no programa não impactará a produção de alumínio da CBA tendo em vista que realizará apenas um deslocamento da demanda do Sistema Interligado Nacional (SIN) durante as horas do dia conforme grade horária definida pelo Operador Nacional do Sistema (ONS). A empresa não informou quando de sua carga será deslocada.

Para o 2º semestre de 2021, é esperado pela companhia a manutenção do consumo de energia na produção de alumínio em torno de 700MW médios, o que gerou a necessidade de compra de energia elétrica pela redução de geração própria.

Até o momento a companhia adquiriu 76MWm por um preço médio de R$ 418/MWh e para os próximos meses espera comprar de 30 a 40 MWm, a depender dos efeitos da hidrologia crítica no GSF e do nível dos reservatórios na produção do seu parque hidroelétrico. Esse volume ainda exposto representa cerca de 5% do consumo esperado para o período.