Revisão Tarifária da CEEE-D traz reajuste médio de 14,62%

Baixa tensão terá aumento médio de 15,18%

A Agência Nacional de Energia Elétrica aprovou em reunião realizada nesta terça-feira, 16 de novembro, a Revisão Tarifária Periódica da CEEE-D (RS). O efeito médio para os consumidores gaúchos será de 14,62%. Na alta tensão, o reajuste fica em 13,24% em média, enquanto na baixa tensão, chega a 15,18% em média. As novas tarifas passam a valer a partir do próximo dia 22 de novembro de 2021. A distribuidora atende 72 cidades, com 1,7 milhão de unidades consumidoras.

Na composição da tarifa, os tributos tomam a maior parte, com 34,7%, sendo seguido pelos custos da energia, que representam 28,9% do total. O custo de distribuição são responsáveis por 16,1% enquanto os encargos setoriais ficam 11,5%. As receitas irrecuperáveis são apenas 0,6% na composição da tarifa da CEEE-D. Em 2022, o DEC proposto ficará em 9,26 horas. Já o FEC proposto para o ano que vem é de 6,96 interrupções. A parcela A, que engloba encargos e subsídios , representa 75,4% dos custos da CEEE-D, com impacto na tarifa de 5,20%, enquanto a parcela B, que fica com os custos de remuneração , representa 24,6% dos custos, om impacto tarifário de 5%.

Nos últimos dez anos, o consumidor residencial viu a tarifa da distribuidora subir 85,1%, acima do IPCA de 78,8% do período. Com o reajuste, a tarifa saltou da quadragésima-nona para a vigésima posição no ranking, com R$ 629,70 / MWh