CTG Brasil e Reivax desenvolvem solução para pequenas turbinas

Sistema para regulação de velocidade com acionamento pneumático faz parte de P&D de R$ 3 milhões

A CTG Brasil e a Reivax estão desenvolvendo uma solução pioneira e inovadora para o mercado. Trata-se de um sistema para regulação de velocidade com acionamento pneumático que pode ser utilizado em turbinas de pequeno porte. A iniciativa foi desenvolvida dentro do programa Pesquisa & Desenvolvimento da Aneel, com investimento de R$ 3 milhões da CTG Brasil. A solução contempla um conjunto de válvulas e atuadores lineares pneumáticos para o controle de velocidade da unidade geradora.

Além disso, o sistema também aciona a válvula borboleta de entrada de água por meio de um macaco hidropneumático, que controla as velocidades de abertura e fechamento, e evita o efeito do golpe de aríete, ou seja, danos causados por variação brusca de pressão. De acordo com Leonardo Weiss, coordenador do projeto pela Reivax, é um sistema simples, acessível e sustentável, já que utiliza ar comprimido em vez de óleo, diminuindo a produção de resíduos químicos e gerando uma operação limpa. Segundo ele, outras vantagens são os custos de aquisição, que são cerca de 45% menores do que os equipamentos hidráulicos convencionais, instalação mais simples e diminuição da necessidade de manutenções.

O desenvolvimento atende às exigências de normas internacionais, que regulamentam o funcionamento de sistemas de automação e controle aplicados a geração hidrelétrica, nos quais é essencial a operação precisa e segura para manter a qualidade na geração de energia elétrica e integridade do equipamento. Além dessas exigências de desempenho, estão sendo considerados a robustez e o custo-benefício dos equipamentos.

A solução foi testada em um grupo auxiliar da Usina Salto Grande, uma das UHEs da CTG Brasil, localizada no rio Paranapanema entre os municípios de Salto Grande (SP) e Cambará (PR). Para Renato Castilho, gerente de Engenharia de Eletromecânica da empresa, o desempenho do sistema nos testes está dentro da expectativa. Segundo ele, os resultados preliminares mostraram que o protótipo foi capaz de suportar as condições operacionais normalmente previstas em unidades geradoras de pequeno porte, como as da Usina Salto Grande. O sistema está passando por um período de monitoramento e avaliação de desempenho, e poderá ser comercializado a partir de 2022.

Para a Reivax, a solução é uma oportunidade de inserção no mercado de micro e pequenas centrais hidrelétricas. A expectativa é de consolidar o uso da tecnologia de baixo custo no controle pneumático em turbinas hidrelétricas de pequeno porte, preenchendo uma lacuna existente no mercado brasileiro. Segundo Fernando Amorim da Silveira, CEO da fornecedora de equipamentos para o controle da geração, esse é um nicho que está crescendo bastante e que representa uma oportunidade de aumentar a competitividade.