Energisa registra novo recorde de carga no MS

Altas temperaturas explicam em parte o consumo de 1.213 MW verificado em 15 de fevereiro e que supera em 26 MW a máxima histórica anterior

Influenciado pelos hábitos da nova rotina imposta pela pandemia e principalmente pelas altas temperaturas, o Grupo Energisa registrou um novo recorde de carga para sua concessão no Mato Grosso do Sul. Segundo a companhia, que atende a 74 municípios no estado, o pico de 1.213 MW verificado em 15 de fevereiro às 22 horas supera em 26 MW a máxima histórica anterior, representando aumento de 2,2%.

Do montante cerca de 36% vieram da demanda residencial, seguido por 19% de estabelecimentos comerciais, 24% de locais industriais e 22% de consumo rural e demais classes. A carga máxima de fevereiro também superou a do mesmo mês de 2021 em 100 MW, crescendo 8,9% na comparação anual.

Para a concessionária um ponto de atenção é o horário de ocorrência do novo recorde: anos atrás o consumo máximo acontecia próximo das 14h, porém com o crescimento elevado da instalação de painéis solares houve uma alteração deste horário para o período noturno. O recorde anterior era de 1187,7 MW registrado em 7 de outubro de 2020, às 14h30.

Fonte: Assessoria de Planejamento e Orçamento Energisa MS)

Declaração de Carga

De acordo com o gerente de Operação, Fernando Corradi, é muito importante que o consumidor declare a carga e cada equipamento utilizado. “Um transformador tem um limite de Kilovoltampere (kVA) para a região e todo o sistema é projetado e preparado de acordo com os equipamentos declarados pelas residências, comércios e indústrias que usam o transformador”, afirmou.

Com a declaração descritiva de carga correta, a Energisa pode direcionar investimentos de forma mais eficiente, garantindo a qualidade do fornecimento, diminuição as interrupções por sobrecarga e acima de tudo, garantindo maior segurança das instalações internas e para a comunidade.