Enel Green Power anuncia operação do parque eólico Fontes dos Ventos II em PE

A EGP investiu cerca de R$ 430 milhões na construção do projeto, que possui 99 MW de capacidade instalada

A Enel Green Power Brasil anunciou a operação comercial do parque eólico Fontes dos Ventos II, localizado em Tacaratu, Pernambuco. O novo projeto eólico possui 99 MW de capacidade instalada e envolveu um investimento de cerca de R$430 milhões. O parque possui 18 aerogeradores e será capaz de gerar mais de 421 GWh de energia por ano. Do ponto de vista da sustentabilidade, a produção de energia da usina tem potencial para evitar a emissão do equivalente a 230 quilotoneladas de CO2 por ano.

O parque eólico Fontes dos Ventos II está instalado na mesma região onde a Enel Green Power opera desde 2015 o parque híbrido solar e eólico, que combina o parque eólico Fontes dos Ventos I e o projeto Fontes Solar, com uma capacidade instalada total de 89,9 MW.

De acordo com a Enel, durante a construção do parque eólico, a Enel implementou rigorosos protocolos de segurança, em função da pandemia e em linha com as indicações das autoridades sanitárias, com o objetivo de garantir a proteção necessária aos trabalhadores envolvidos na construção e às comunidades onde o parque está instalado. A empresa também desenvolveu iniciativas de sustentabilidade com as comunidades locais na área de influência do empreendimento, a partir de um estudo socioeconômico prévio, que mapeou potencialidades e necessidades locais, e do diálogo com a população local antes do início das obras.

A energia produzida no parque eólico Fontes dos Ventos II é fornecida ao mercado livre para venda a clientes comerciais, por meio da Enel Trading, comercializadora do Grupo Enel no país. A estratégia de venda de energia renovável no mercado livre tem alavancado a presença integrada do Grupo no setor elétrico, num momento em que a busca de empresas de diversos portes e segmentos por energia limpa certificada vem registrando forte crescimento. Os IREC’s são um sistema global de rastreamento de atributos ambientais de energia, projetado para dar transparência e confiabilidade na contabilidade de carbono.