Olá, esse é um conteúdo exclusivo destinado aos nossos assinantes
Para continuar tendo acesso a todos os nossos conteúdos, escolha um dos nossos planos e assine!
Redação
de R$ 47,60
R$
21
,90
Mensais
Notícias abertas CanalEnergia
Newsletter Volts
Notícias fechadas CanalEnergia
Podcast CanalEnergia
Reportagens especiais
Artigos de especialistas
+ Acesso a 5 conteúdos exclusivos do plano PROFISSIONAL por mês
Profissional
R$
82
,70
Mensais
Acesso ILIMITADO a todo conteúdo do CANALENERGIA
Jornalismo, serviço e monitoramento de informações para profissionais exigentes!

A Universidade Estadual do Oeste do Paraná inicia nos próximos dias a geração de energia fotovoltaica por meio de painéis solares em Foz do Iguaçu, no Oeste. Esse será o primeiro campus universitário autossuficiente em relação à energia. A usina recebeu investimento de R$ 1,04 milhão, aprovado no Programa de Eficiência Energética da Copel (PR).

De acordo com o reitor Alexandre Weber, a Unioeste desenvolveu um projeto de eficiência energética que contempla todos os campi da instituição. A proposta vai além da geração de energia por uma fonte sustentável, envolve ações de economia de energia e ações de conscientização e divulgação socioambientais. Com a usina em funcionamento, o objetivo é gerar toda a energia utilizada no próprio campus com a instalação de 572 painéis solares de 550 Watts. Além da usina, e de ações de conscientização para consumo eficiente, a Universidade fará a troca de 2.505 lâmpadas fluorescentes por lâmpadas e luminárias com tecnologia LED.

Outras três universidades estaduais, a UEL, a UEM e a Unicentro, já produzem energia fotovoltaica há mais de três anos. Todas foram contempladas no Programa de Eficiência Energética da Copel. A usina da UEL está em funcionamento desde 2019, com 1.020 placas de captação solar, que geram em média 400Mwh/ano, ou seja, energia suficiente para manter aproximadamente 220 residências médias durante um ano. Os painéis solares ocupam uma área de aproximadamente 2 mil m² do estacionamento da Clínica Odontológica Universitária.

Na UEM, a geração de energia por meio de captação solar teve início em junho de 2020. Estão instaladas 1.440 placas solares, que produziram em média 574Mwh/ano. Em dezembro de 2022 foram instaladas 179 placas fotovoltaicas no Pavilhão Didático que gera aproximadamente 80kWp. Assim como nas outras duas instituições de ensino, 4 mil lâmpadas também foram substituídas por equipamentos LED.

A energia que foi gerada pelas três usinas fotovoltaicas já instaladas poderia manter 535 unidades consumidoras durante um ano, considerando que em média cada unidade utiliza 152,2 kWh/mês.