Olá, esse é um conteúdo exclusivo destinado aos nossos assinantes
Para continuar tendo acesso a todos os nossos conteúdos, escolha um dos nossos planos e assine!
Redação
de R$ 47,60
R$
21
,90
Mensais
Notícias abertas CanalEnergia
Newsletter Volts
Notícias fechadas CanalEnergia
Podcast CanalEnergia
Reportagens especiais
Artigos de especialistas
+ Acesso a 5 conteúdos exclusivos do plano PROFISSIONAL por mês
Profissional
R$
82
,70
Mensais
Acesso ILIMITADO a todo conteúdo do CANALENERGIA
Jornalismo, serviço e monitoramento de informações para profissionais exigentes!

O Grupo Enel teve lucro de € 2,51 bilhões no primeiro semestre do ano. O valor ficou 48% acima do que foi registrado no mesmo período de 2022, de € de 1,69 bilhão. O Ebitda teve um aumento de 18%, indo a € 9,67 bilhões. As receitas de € 47 bilhões sinalizam que houve uma queda nesse item de 28,2%.

Os investimentos de € 6,04 bilhões no período foram direcionados no aumento da capacidade da Enel Green Power, subsidiária de energias renováveis do grupo, e na Enel Grids, para o desenvolvimento e resiliência das redes de distribuição. O primeiro semestre de 2023 viu um aumento no investimento na EGP, principalmente na Itália, Espanha, Colômbia e Brasil, e na Enel Grids, com destaque para Itália, Espanha e Colômbia.

De acordo com a companhia, a queda na receitas reflete principalmente a queda dos preços de venda das commodities nos mercados consumidores finais, em um cenário caracterizado por mais preços mais estáveis que no primeiro semestre do ano passado.

No período, a capacidade instalada total do Grupo foi de 82,2 GW, 2,4 GW menor que a do fim do passado. A redução foi por conta da venda da Enel Generación Costanera e Dock Sud na Argentina (-3,1 GW), parcialmente compensados pelo aumento da capacidade renovável líquida: eólica no Brasil e Chile, bem como solar no Peru, Colômbia e Estados Unidos.