Olá, esse é um conteúdo exclusivo destinado aos nossos assinantes
Para continuar tendo acesso a todos os nossos conteúdos, escolha um dos nossos planos e assine!
Redação
de R$ 47,60
R$
21
,90
Mensais
Notícias abertas CanalEnergia
Newsletter Volts
Notícias fechadas CanalEnergia
Podcast CanalEnergia
Reportagens especiais
Artigos de especialistas
+ Acesso a 5 conteúdos exclusivos do plano PROFISSIONAL por mês
Profissional
R$
82
,70
Mensais
Acesso ILIMITADO a todo conteúdo do CANALENERGIA
Jornalismo, serviço e monitoramento de informações para profissionais exigentes!

A Agência Nacional de Energia Elétrica, por meio da Comissão Especial de Licitação, habilitou parcialmente as vencedoras do mais recente leilão de transmissão, realizado em 30 de junho. A Comissão Especial de Licitação aprovou a documentação das proponentes dos lotes 2 ao 7 e do lote 9. A exceção foi a vencedora do lote 1 e 8. A informação consta do despacho no. 2.634, de 28 de julho de 2023.

Foram habilitadas a Rialma Administração e Participações no Lote 2, a Cymi Construções no lote 3, Furnas com o Lote 4, Consórcio Engie Brasil Transmissão no Lote 5, Celeo para o lote 6 e a Cteep nos lotes 7 e 9.

A exceção ficou justamente com o Consórcio Gênesis, formado pela The Best Car Transporte de Cargas Nacionais e Internacionais com 92,52% e a Entec Empreendimentos com os 7,48% restantes. Segundo a agência reguladora, o prazo para a análise dos documentos dessa sociedade foi estendido para até 4 de agosto.

“Nos termos do item 10.17 do Edital, promoveu diligências para habilitação da proponente vencedora dos Lotes 1 e 8; e iii) em face da necessidade de análise da documentação apresentada, a data estimada para publicação da decisão sobre habilitação para os Lotes 1 e 8 fica prorrogada para 4 de agosto de 2023”, diz o comunicado da CEL, responsável pelos leilões.

O Consórcio Gênesis foi a organização responsável pelos maiores deságios do leilão de junho. No lote 1, o desconto ficou em 55,35% e no 8 foi ainda maior, com 66,18%. O representante da empresa na entrevista coletiva, o CEO do consórcio, Dênis Rildon, se negou a revelar a fonte de financiamento e a composição da empresa, mas afirmou que a companhia tem expertise e capacidade de entregar os empreendimentos arrematados no certame, pois realizaram estudo detalhado dos projetos.