Olá, esse é um conteúdo exclusivo destinado aos nossos assinantes
Para continuar tendo acesso a todos os nossos conteúdos, escolha um dos nossos planos e assine!
Redação
de R$ 47,60
R$
21
,90
Mensais
Notícias abertas CanalEnergia
Newsletter Volts
Notícias fechadas CanalEnergia
Podcast CanalEnergia
Reportagens especiais
Artigos de especialistas
+ Acesso a 5 conteúdos exclusivos do plano PROFISSIONAL por mês
Profissional
R$
82
,70
Mensais
Acesso ILIMITADO a todo conteúdo do CANALENERGIA
Jornalismo, serviço e monitoramento de informações para profissionais exigentes!

O volume de ativos de energia transacionados no Balcão Brasileiro de Comercialização de Energia (BBCE) em julho se manteve estável quando comparado ao mesmo mês de 2022. Foram negociadas 20.249 GWh, redução de 1,2% na comparação anual e queda de 13,1% em relação ao mês anterior.

O tíquete médio dos contratos encerrou o período em 12,25 GWh, o que supera em 187% o mesmo período de 2022, seguindo nesse ano com grandes volumes concentrados em poucas operações. Como resultado, foi fechado em tela o maior contrato de produto com vencimento mensal da história da mesa.

Com o preço de liquidação das diferenças (PLD) no piso ao longo de todo o ano, o volume financeiro movimentado segue bem abaixo dos patamares de 2022 e atingiu R$ 1,8 bilhão no fechamento do mês. Houve retração de 35,5% em comparação com julho de 2022 e uma alta de 15,5% em relação a junho deste ano.

Outro destaque é a quebra de uma tendência. Na contramão do alongamento de prazos conferido no primeiro semestre, os produtos com vencimento de até 30 dias representaram 72,3% do total operado. Já a participação de ativos superiores a um ano chegou 23,22% do volume total.