Olá, esse é um conteúdo exclusivo destinado aos nossos assinantes
Para continuar tendo acesso a todos os nossos conteúdos, escolha um dos nossos planos e assine!
Redação
de R$ 47,60
R$
21
,90
Mensais
Notícias abertas CanalEnergia
Newsletter Volts
Notícias fechadas CanalEnergia
Podcast CanalEnergia
Reportagens especiais
Artigos de especialistas
+ Acesso a 5 conteúdos exclusivos do plano PROFISSIONAL por mês
Profissional
R$
82
,70
Mensais
Acesso ILIMITADO a todo conteúdo do CANALENERGIA
Jornalismo, serviço e monitoramento de informações para profissionais exigentes!

O ministro de Minas e Energia, Alexandre Silveira, afirmou em entrevista que a ocorrência no Nordeste que resultou no apagão registrado em 25 estados e no Distrito Federal pode ter sido provocado por dois eventos simultâneos, um deles, já identificado, no norte do Ceará. O governo não descarta a hipótese de sabotagem e, por isso, o ministro solicitou ao Ministério da Justiça e à Agência Brasileira de Inteligência uma investigação da causas da ocorrência, considerando a possibilidade de ação proposital.

“Acabei de sair de uma terceira reunião com o ONS. O que aconteceu hoje é extremamente raro que aconteça, porque temos um sistema redundante, um sistema N-1. Para acontecer um evento dessa magnitude temos que ter tido dois eventos concomitantes em linhas de alta capacidade”, disse Silveira. Ele destacou que o episódio não está relacionado ao suprimento energético, uma vez que o Brasil  está com os reservatórios cheios.

A ocorrência registrada no início da manha desta terça-feira, 15 de agosto, interrompeu 18,9 mil MW de carga, sendo 16 mil MW no Norte e Nordeste, e o restante em razão do desligamento preventivo de quase 4 mil MW no Sudeste/Centro-Oeste e Sul do país, segundo o Operador Nacional do Sistema Elétrico.

O secretário de Energia Elétrica do MME, Gentil Nogueira Jr, explicou que o epicentro do desligamento foi no interior do Ceará, e informou que foram desconectados 21 mil MW. Nem o Operador, nem o MME, souberam informar a localização exata e qual seria a linha de transmissão afetada. O segundo incidente por enquanto é uma suspeita, porque ainda não foi identificado.

O fornecimento começou a ser normalizado pela manhã, e o sistema foi totalmente restabelecido cerca de seis horas depois, às 14h49. O ministro disse que um relatório mais completo será divulgado pelo ONS em 48 horas.

Silveira lembrou que no início do ano, quando diversos episódios de vandalismo derrubaram várias torres de transmissão no país, o governo criou uma comitê de crise permanente, que instalou agora uma sala de situação para acompanhar a apuração do episódio.

Explicou que como o ONS não tem condições de dizer que os eventos ocorreram por falha eminentemente técnica ou dolo (intenção), enviou ao ministério de Justiça e à Abin um pedido de investigação. A justificativa é que o desligamento aconteceu em um momento em que não estava tendo despacho de grande quantidade de energia.