Olá, esse é um conteúdo exclusivo destinado aos nossos assinantes
Para continuar tendo acesso a todos os nossos conteúdos, escolha um dos nossos planos e assine!
Redação
de R$ 47,60
R$
21
,90
Mensais
Notícias abertas CanalEnergia
Newsletter Volts
Notícias fechadas CanalEnergia
Podcast CanalEnergia
Reportagens especiais
Artigos de especialistas
+ Acesso a 5 conteúdos exclusivos do plano PROFISSIONAL por mês
Profissional
R$
82
,70
Mensais
Acesso ILIMITADO a todo conteúdo do CANALENERGIA
Jornalismo, serviço e monitoramento de informações para profissionais exigentes!

A Agência Nacional de Energia Elétrica decidiu suspender a operação comercial das Unidades Geradoras UG 06, UG 09 e UG 10, da EOL São Jorge, outorgada à Central Eólica São Jorge, localizada no Município de Trairi, no estado do Ceará. Segundo o Despacho Nº 3.348, publicado nesta terça-feira, 12 de setembro, no Diário Oficial da União, a suspensão foi devida à indisponibilidade prolongada das Unidades Geradoras que estão fora de operação desde o dia 30 de maio de 2023.

A previsão, segundo a Central Eólica São Jorge, é que UG 06 retorne às atividades em 31 de outubro de 2023, e as UG 09 e UG 10, com previsão de finalização da indisponibilidade para 21 de fevereiro de 2024 e 08 de fevereiro de 2024, respectivamente. A Aneel destacou que não foram apresentados argumentos para impedir a suspensão da operação comercial das unidades geradoras da EOL São Jorge.

A Aneel suspendeu também a operação comercial da Unidade Geradora UG 02 da EOL Santo Antônio de Pádua, outorgada à Central Eólica Santo Antônio de Pádua, localizada no município de Trairi, no estado do Ceará, pertencente à AES Brasil. De acordo com o Despacho Nº 3.380, a AES Brasil comunicou a indisponibilidade prolongada não programada da UG 02, ocorrida em 22 de julho de 2023, decorrente da identificação de um gap entre a blade e o flange de fixação dos parafusos durante a campanha de inspeções de blades, portanto, realizando o desligamento da respectiva máquina, resultando em 2.000 kW de potência indisponíveis, com previsão de retorno à condição operacional para 19 de abril de 2024.

Entre as liberações, a agência reguladora autorizou o início da operação em teste, a partir de 12 de setembro, da UG3, da EOL Ventos de São Vitor 12, com 6,2 MW de capacidade instalada; e a UG2, da UTE BBF Baliza, com 8,1 MW de capacidade instalada.