Olá, esse é um conteúdo exclusivo destinado aos nossos assinantes
Para continuar tendo acesso a todos os nossos conteúdos, escolha um dos nossos planos e assine!
Redação
de R$ 47,60
R$
21
,90
Mensais
Notícias abertas CanalEnergia
Newsletter Volts
Notícias fechadas CanalEnergia
Podcast CanalEnergia
Reportagens especiais
Artigos de especialistas
+ Acesso a 5 conteúdos exclusivos do plano PROFISSIONAL por mês
Profissional
R$
82
,70
Mensais
Acesso ILIMITADO a todo conteúdo do CANALENERGIA
Jornalismo, serviço e monitoramento de informações para profissionais exigentes!

A Prospera, plataforma de benefícios sustentáveis, e a Greener, startup de tecnologia verde dedicada à preservação da biodiversidade e ao desenvolvimento do mercado de ativos ambientais, anunciaram a fusão de suas operações. Sob alcunha Prospera + Greener, a empresa afirma ser a primeira plataforma do setor renovável e do mercado de crédito de carbono que irá conceder “vales de energia” para práticas e consumos considerados sustentáveis.

“Nosso propósito é zerar a conta de energia de todas as pessoas através do vale-energia e crédito de carbono, começando a olhar o real impacto nos negócios e nas famílias”, resume o CEO da companhia, Leandro de Abreu, em entrevista à Agência CanalEnergia. O negócio irá começar em estabelecimentos de varejo como farmácias, postos de gasolina e supermercados, que irão distribuir os vales e obter descontos recebendo o atendimento de energia solar.

Produtos serão adicionados nessa jornada para melhorar a governança e gestão dos comércios, os quais devem adotar práticas mais sustentáveis para obterem mais benefícios. O próximo passo será impactar a indústria, promovendo serviços e soluções ESG com bonificação tanto ao varejista como para o consumidor que tiver um comportamento de compra mais consciente.

Na foto: Marcelo Freitas, Leandro de Abreu e Cláudio Olimpo (Próspera+Greener)

“Queremos transformar o comportamento de compra varejista até chegar na população, remunerando o comportamento positivo dentro de toda cadeia”, pontua Abreu. A atuação está em consonância com as regulamentações da CVM 80/22 e enfrenta o desafio das emissões de carbono do Escopo 3. Ele classifica a plataforma como uma jornada de um clube de benefícios, entendendo que o player varejista precisa tomar decisões quanto a sustentabilidade, como transparência de gestão e governança.

Entre os exemplos estão alguns parceiros que executam soluções financeiras que viabilizam o consumidor a ter acesso a alguns produtos que não teria. “É mudar a relação de compra entre as partes, num passo importante que passará por conscientização e treinamentos”, acrescenta. No âmbito socioambiental, a Prospera + Greener pretende impactar aproximadamente 60 milhões de famílias em cinco anos. “Devemos dobrar nossa estrutura até o final desse ano, seguindo nesse ritmo até 2026”, informa o CEO.

Outros investimentos

Antes da fusão que completa um mês, as duas empresas passaram por rodadas de investimentos junto aos sócios visando colocar o conceito ESG na prática e dentro do core business do cliente. A Greener realizou um processo longo de identificação das áreas de biodiversidade preservada para validação e auditoria dos créditos junto à Unesp e certificação da KPMG, que depois são transformados em tokens para comercialização.

Já a Próspera foi fundada em 2018 e possui uma parceria de quase dois anos com a Enel X, onde prevê a construção de 350 MW em usinas de GD solar até 2026, construindo no momento plantas no Ceará e Alagoas. Também atua no programa EcoEnel, onde consumidores podem levar lixo em um centro de triagem para reciclagem em troca dos vales de energia.