Olá, esse é um conteúdo exclusivo destinado aos nossos assinantes
Para continuar tendo acesso a todos os nossos conteúdos, escolha um dos nossos planos e assine!
Redação
de R$ 47,60
R$
21
,90
Mensais
Notícias abertas CanalEnergia
Newsletter Volts
Notícias fechadas CanalEnergia
Podcast CanalEnergia
Reportagens especiais
Artigos de especialistas
+ Acesso a 5 conteúdos exclusivos do plano PROFISSIONAL por mês
Profissional
R$
82
,70
Mensais
Acesso ILIMITADO a todo conteúdo do CANALENERGIA
Jornalismo, serviço e monitoramento de informações para profissionais exigentes!

A Petrobras vai instalar uma usina solar de 11 MW para consumo próprio na refinaria Gabriel Passos, em Betim, Minas Gerais. O empreendimento anunciado em Belo Horizonte pelo presidente da companhia, Jean Paul Prates, deve suprir 80% da necessidade de energia da Regap, que vai passar por um processo de modernização e de aumento da capacidade de refino estimado em US$ 2,6 bilhões até 2027.

O investimento será feito em duas fases, com a ampliação da capacidade atual de 170 mil barris para 200 mil barris por dia, na primeira delas, e depois para 240 mil barris/dia.

O faturamento bruto da Regap em 2022 foi de R$ 45 bilhões, mas pode ter ficado próximo de R$ 50 bilhões, pelas contas do executivo, considerando outras receitas da instalação. “Isso é mais do que a Fiat, é mais do que qualquer siderúrgica, é mais do que a Vale no estado de Minas Gerais”, disse Prates em entrevista nesta segunda-feira, 30 de outubro, lembrando que a instalação recolhe mais imposto para o estado que todas essas empresas.

A expansão da refinaria será feita dentro do mesmo terreno, como acontece atualmente no resto do mundo. “Ninguém está saindo para construir refinaria nova em lugar novo. Estamos aproveitando as mesmas locações as mesmas máquinas e fazendo aprimoramentos internos e construções novas nelas.”

Um dos direcionamentos dados pelo governo para a companhia é o conteúdo local, tanto em relação à mão de obra quanto ao fornecimento de bens e serviços, onde for possível, explicou Prates. Em Minas, o número de fornecedores cadastrados hoje na Petrobras está em torno de 15 mil, cobrindo diversas áreas. “Nós consideramos Minas Gerais na Petrobras como um dos principais polos geradores de fornecimento, suprimento, serviço para a indústria do petróleo.”

O dirigente da estatal participou, a capital mineira, do “1º Encontro de óleo, gás e biocombustíveis para o fortalecimento da cadeia de produção industrial e comercial brasileira”. O evento foi realizado pelo MME em parceria com a Petrobras e a Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais.