Olá, esse é um conteúdo exclusivo destinado aos nossos assinantes
Para continuar tendo acesso a todos os nossos conteúdos, escolha um dos nossos planos e assine!
Redação
de R$ 47,60
R$
21
,90
Mensais
Notícias abertas CanalEnergia
Newsletter Volts
Notícias fechadas CanalEnergia
Podcast CanalEnergia
Reportagens especiais
Artigos de especialistas
+ Acesso a 5 conteúdos exclusivos do plano PROFISSIONAL por mês
Profissional
R$
82
,70
Mensais
Acesso ILIMITADO a todo conteúdo do CANALENERGIA
Jornalismo, serviço e monitoramento de informações para profissionais exigentes!

Após o final de semana cuja previsão era de fortes ventos e de chuva forte no Sul e Sudeste a maioria dos consumidores afetados por interrupções no serviço de distribuição já teve o restabelecimento feito. Segundo balanço da Enel SP, Enel Rio e Light, ainda havia pela manhã desta terça-feira, 21 de novembro, registros de unidades ainda sem energia.

A Enel SP registrava nesta terça a recomposição de todos os atingidos. A empresa, que sofreu críticas sobre sua atuação com a ocorrência de 3 de novembro, preparou medidas adicionais que foram incorporadas ao seu plano de ação operacional para eventos climáticos nos 24 municípios atendidos pela empresa.

Com isso, já na segunda-feira, 20, a empresa informou que havia restabelecido a energia para todos os clientes que tiveram o fornecimento afetado na noite de sábado, marcada por pancada de chuva acompanhada de ventos que atingiram parte da região metropolitana. A empresa não informou quantos consumidores foram afetados.

Já na Enel Rio, a empresa informou pela manhã desta terça-feira que 97% dos consumidores afetados pela tempestade de sábado tiveram o serviço restabelecido. Nesse caso também não havia o número de afetados.

Na cidade do Rio de Janeiro, houve registros de queda de fornecimento. A Light atribuiu o problema a questões climáticas, ligações clandestinas e a problemas com Furnas.

Em nota a concessionária informou que “reforçou as equipes de campo para garantir o restabelecimento de energia de moradores de diversas regiões da cidade que foram impactados por um problema em Furnas, ventos e chuva”.

No sábado, relata que bairros da Zona Norte e da Baixada Fluminense foram afetados após uma ocorrência em Furnas sobrecarregar seu sistema elétrico. E que por isso precisou cortar as cargas das subestações Pavuna e Colégio, impactando o fornecimento de energia para os clientes destas regiões. As subestações Washington Luís, Meriti e São João, todas na Baixada, desarmaram em função desta mesma ocorrência. Todos os clientes foram religados entre a noite de sábado e madrugada de domingo.

Já na Rocinha, diz que técnicos trabalham para normalizar a situação, tendo inclusive iniciado uma operação especial no sábado, com o reforço de mais 10 equipes de campo. “No entanto, na local, as instabilidades na rede de energia elétrica são constantes devido ao alto índice de gatos, que sobrecarregam a rede. Para se ter uma ideia, pouco tempo após o serviço ser restabelecido, a distribuidora recebe novas queixas de quedas de energia devido à sobrecarga na rede em função de ligações clandestinas, que na comunidade chegam a 84% das residências”, contabiliza a Light.

E acrescenta que somente na última semana, foram 127 ocorrências na comunidade, provocadas por sobrecarga na rede elétrica devido ao alto índice de ligações clandestinas. Isso porque os transformadores da Light são configurados e instalados para atender aos 14.485 clientes da concessionária naquela região que queimam pelo excesso de demanda, causando falta de luz.

“A Light atua, diariamente, para coibir essa prática em regiões em que consegue atuar com segurança. Já em comunidades, equipes da distribuidora fazem os reparos necessários em parceria com o poder público a polícia e com as Associação de Moradores”, esclareceu.

Rocinha

E é justamente na comunidade que a Justiça determinou, que a  Light, promovesse imediatamente os reparos necessários, bem como o restabelecimento do serviço, no prazo de 48 horas, sob pena de multa diária.

Há reclamações sobre a falta de luz há uma semana e por isso a Defensoria do Rio, por meio do Núcleo de Defesa do Consumidor, entrou com uma ação coletiva cobrando o direito de milhares de consumidores prejudicados com a interrupção do serviço de luz e, também, pela informação clara e adequada não realizada até o momento.

Vale lembrar que no sábado o Rio chegou a registrar sensação térmica de quase 60º C e que o fornecimento de energia é um serviço básico para o bem estar das pessoas que influencia o fornecimento de água também.