Ao inaugurar nesta sexta-feira, 5 de abril, o complexo eólico Aroeira, (348,3 MW), na Bahia, a Enel Green Power chega a marca de mais de 3,3 GW eólicos em operação no país. Na fonte solar, são 1,4 GW e 1,3 GW na hídrica. O empreendimento teve investimentos de R$ 2,1 bilhões e fica localizado nas cidades de Umburanas, Morro do Chapéu e Ourolândia. A energia produzida por Aroeira será destinada para o mercado livre. Na ocasião, a geradora anunciou que ainda este ano coloca em operação outra eólica na mesma região, o de Pedra Pintada (193, 5 MW), com investimentos de R$ 1,8 bilhão.

Juntas, Aroeira e Pedra Pintada geraram seis mil empregos, sendo dois mil de profissionais oriundos da região. Aroeira, que tem potencial para evitar a emissão de 757 mil toneladas de CO2 na atmosfera anualmente, será capaz de produzir por ano 1.800 GWh, enquanto Pedra Pintada, 894 GWh e evitará a emissão de 374 mil toneladas de CO2 na atmosfera anualmente. Os dois empreendimentos terão aerogeradores da Vestas. O parque já em operação tem 81 aerogeradores e o que está em construção será dotado de 43 máquinas.

De acordo com o presidente da Enel no Brasil, Antonio Scala, o empreendimento é o décimo da empresa na Bahia e o décimo sexto no país. O executivo conta que a eólica se caracteriza pelo seu forte fator de capacidade e elogia o potencial renovável brasileiro concentrado na região Nordeste, superior ao de muitos países. “Muitas vezes essas usinas estão em lugares remotos e representam uma oportunidade de desenvolvimento relevante”, comenta.

Antonio Scala, presidente da Enel, na inauguração do Complexo Aroeira, em Umburanas (BA)

Em conversa com jornalistas, Scala salientou os investimentos feitos em transmissão no país nos últimos anos, que possibilitou a conexão de todos os locais com potencial renovável. Outra característica da nossa matriz destacada pelo executivo é a forte presença da hidreletricidade, que garante ao país o equilíbrio com a intensificação das renováveis. “Brasil tem todos os elementos para facilitar a transição energética”, avisa.

A EGP desenvolveu ações para promover qualificações e treinamentos em Aroeira. Na área de capacitação profissional, foram realizados, em parceria com o Senai, 16 cursos profissionalizantes nas cidades de Umburanas e Ourolândia, com 160 formandos. Na área ambiental, houve engajamento com as comunidades locais com a implantação do Sistema Bioágua, tecnologia social de reaproveitamento de águas de reuso. Os produtores rurais locais também passaram a ter acesso a assessorias técnicas fomentadas pela EGP, além da criação de um viveiro de mudas com plantas medicinais.

No segmento cultural, o projeto Baú de Leitura proporcionou a instalação de salas de leitura escolares, com um acervo de 900 obras de literatura infantil e juvenil, além de duas bibliotecas digitais.

*O repórter viajou a convite da Enel Green Power