A norueguesa Scatec ASA assinou um contrato de compra de energia (PPA) de dez anos com a Statkraft Brasil para uma usina solar de 142 MWp em Minas Gerais. O acordo é realizado em reais e cobre cerca de 75% da energia a ser produzida, enquanto o restante deverá ser vendido sob contratos de curto, médio e longo prazos. O retorno estimado sobre o capital próprio do projeto excede a taxa mínima da Scatec, de 1,2 X o custo do capital próprio do projeto.

O investimento estimado no projeto é de US$ 94 milhões, a serem financiados por non-recourse financing, cobrindo cerca 63% deste montante com capital próprio da Scatec. Esse modelo de empréstimo sem recursos é garantido por um penhor de garantia, geralmente bens imóveis, mas pelo qual o mutuário não é pessoalmente responsável.

Além disso, a empresa está em negociações avançadas para obter a uma linha de crédito de aproximadamente 15 milhões de euros para financiar parcialmente a participação acionária na iniciativa. A ideia da companhia é ter 100% do ativo, com o objetivo de atrair parceiros de capital assim que a operação comercial for alcançada para aumentar a geração de valor. Também será a gestora de EPC do projeto, mas com um escopo de EPC limitado.

O fechamento financeiro e o início da construção do empreendimento estão previstos para o segundo semestre deste ano, com as operações comerciais previstas para final de 2025. Este é o terceiro projeto solar que a multinacional possui no Brasil, elevando o portfólio para 835 MW. As outras plantas são Mendubim, de 531 MW no Rio Grande do Norte, desenvolvida em parceria com Equinor e Hydro Rein, além da Alunorte. Já Apodi apresenta 162 MW no nordeste do Ceará, numa parceria com Equinor e XP.

Presente no Brasil desde 2012, a Statkraft possui 26 usinas eólicas e hidrelétricas em operação, com potência instalada superior a 2 GW no país, considerando as aquisições existentes, recentes e projetos em construção. Sua unidade de operações atende a clientes comerciais e industriais de diversos segmentos por meio de seus escritórios no Rio de Janeiro e em São Paulo.